-->

Leia antes de iniciar a a leitura no Orquídeas Sem Mistério!

Tutorial do Blog Orquídeas Sem Mistério.

Olá Pessoal!! Estou agora atualizando o Tutorial deste blog, uma vez que ocorreram algumas mudanças em sua funcionalidade tornando o mais pr...

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Tutoramento - a Arte de dar apoio

Olá gente! Venho aqui novamente com um assunto, que a princípio parece um assunto bobo, simples e sem importância, mas é muito importante para um bom cultivo, seja para a fixação da planta no substrato, ou para o arranjo floral e escora das hastes. O tutoramento!

Como no mais puro sentido da palavra, tutorar significa apoiar, dar suporte, dar ajuda, ajudar e no caso das nossas orquídeas não é diferente disso. Tutorar além de uma necessidade para n espécies é uma arte, pois além da função básica de sustentar a planta ou as hastes e botões florais ele serve para se fazer arranjos florais e também na própria planta, como desenhos e etc. Tutorar também é ciência, pois não basta apenas amarrar a planta em algo e sim tem que se saber amarrar direito para evitar quebra de hastes, botões e estrangulamento de pseudobulbos ou caules de monopodiais, além de que é necessário saber o material mais adequado e o que se pode adaptar e o momento certo e o que deve ou não ser tutorado. Antes de dar continuidade ao assunto segue aqui algumas fotos tiradas de meu orquidário mostrando algumas destas importâncias do tutoramento.



Como mostrado nas fotos alguns tutoramentos estão sendo feitos basicamente com fins de arranjo como na Sharry baby da segunda foto, outros como nas Phalaenopsis recém-plantadas estão sendo feitos com fins de firmar as plantas no novo substrato.
Independente do fim do tutoramento o importante é que ele seja feito de forma que não machuque a planta e que atinja seu objetivo final. Se é para firmar a planta recem plantada, então que ela fique bem firme; se é para tutorar uma haste ou botões então que eles fiquem bem firmes, se é para corrigir postura de pseudobulbos deitados ou tortos, então que corrija a postura destes.
Para se  fazer um bom tutoramento das plantas é importante conhecer-mos os materiais que podemos usar e como devemos usa-los.
Os materiais basicamente são os tutores, que são suportes que podem ser, arames de aço galvanizados, arames de aço encapado, palitos de bambu ou esses de churrasco, canudos rígidos de plástico próprio para este fim, ou outro material e as amarrações que no caso são os arames encapados achatados, tipos o de saco de pão. segue aqui a foto dos tutores e amarrações:
tutores de palito de churrasco, palito de bambu rústico, canudo rígido de plástico, arame encapado firme e arame galvanizado 12 e 14


amarrações de arames encapados chatos tipo de saco de pão.

Nos tutores o fundamental é que todos sejam resistentes, resistam por um bom tempo, e sejam do tamanho de acordo com a finalidade. Se forem para tutorar plantas recem plantadas que estes sejam mais rígidos e menores e caso seja para hastes mais cumpridas, ou para corrigir postura de pseudobulbos tortos que estes sejam mais cumpridos, mais flexíveis(para hastes) e com espessura adequada para a finalidade. Por sua vez as amarrações em geral são mais padrões que são esses arames e elas possuem a função básica de ligar a planta, pseudobulbo ou haste ao tutor. Se for comparar a uma construção os tutores são como as colunas da casa e as amarrações como as vigas ou cintas de amarração que ligam o resto da construção as colunas e por sua vez as colunas ligam a construção a fundação que liga ao solo, ou seja, a amarração transmite todo peso(carga) dos pseudobulbos, hastes ou planta para os tutores, que por sua vez transmitem toda essa carga para o substrato que por sua vez dissipa toda carga no vaso e assim ele além de segura a planta também a estabiliza no lugar.
Depois dessa pequena comparação vamos a prática:
começando com o tutoramento de plantas, que é um dos mais importantes no ponto de vista para o cultivo como o todo este merece maior atenção por se tratar de ser o mais trabalhoso e decisivo para o sucesso ou fracasso. É fato que ao replantar uma orquídea se ela não ficar bem firme no novo vaso ou suporte ela não vai enraizar direito e não vai desenvolver legal, então para evitar isso não devemos economizar em tutorar a planta, independente da quantidade de tutores que serão gastos para atingir o tal fim, mas sempre tendo em mente que ela deve ficar o mais firme possível que é quando você balança ela de leve o vaso balance junto o que indica que se conseguiu a estabilidade da planta no substrato.
como exemplo para este tutoramento vamos ao que aconteceu comigo em um replante de uma muda de Phalaenopsis recem desmamada e que para garantir que ela ficasse bem firme no novo substrato o tutoramento se fez necessário.
Para conseguir a firmeza necessária dela usei um palito de bambu rústico e queimado ao fogo pra aumenta um pouco a vida útil dele. Em seguida usei um arame para amarra-lo, lembrando que para esse processo não se dar nó e sim se enrola a amarração primeiro no palito para ela ficar firme e então depois amarra no caule ou haste ou pseudobulbo da planta até ficar firme. Nesse caso amarrei a Phalaenopsis no tutor antes de planta-la e já deixei o espaço adequado para afundar o tutor no substrato e a Phalaenopsis ficasse exatamente junta acima dele firme no vaso. segue as fotos do processo a seguir:








No caso de plantas simpodiais ou monopodiais como Phalaenopsis de maior porte muitas vezes pode ser necessário o uso de mais de um tutor até que se consiga a estabilização da planta, foi o caso da planta mãe desta Phalaenopsis da foto que apenas foi replantada com o substrato existente e completado sendo que pra estabilizar precisou de mais de 3 tutores e para o caso de plantas grandes e cumpridas colocar tutores em vários pontos da planta facilita o trabalho.

No caso de correção de postura de pseudobulbos os tutores de arame encapado ou galvanizado são mais eficientes que os de bambu que podem quebrar. O ponto certo para se fazer esse tutoramento é, como dito na postagem sobre desenvolvimento de pseudobulbos quando ele se encontra na fase em que está emitindo a folha e começando seu alongamento das células, que é quando este se encontra mais flexível diminuindo assim riscos de quebra e a maneira de amarrar segue a mesma do modo para tutorar plantas recem plantadas.. Em muitos casos o pseudobulbo, mesmo nesta fase citada deve ser erguido aos poucos com o passar do desenvolvimento para evitar torção muito acentuada e para dar tempo das fibras de sustentação dele irem se formando. Não corrigir pseudobulbos que já estão completamente maduros, pois estes já estão rígidos com as fibras completamente formadas e maduras e estes não responderão bem ao tutoramento, tornando a voltar a posição que estavam quando retirado o tutor e ainda com possibilidade de quebra destes. Em muitos casos se torna necessário a emenda de um arame no outro para aumentar o tamanho deste e facilitar a amarração. segue fotos agora sobre estes procedimento:





Lembrando que sempre é bom fazer o tutoramento, seja de haste ou de pseudobulbos após a rega que eles ficam hidratados o que diminui o risco de quebras. segue agora exemplo do tutoramento de pseudobulbos para correção de postura:


Dendrobium thyrsiflorum
Em fim, o tutoramento de hastes e botões florais se faz necessário para hastes grandes e rígidas, como hastes de Phalaenopsis e algumas Vandas, botões florais de plantas do grupo das Cattleyas com flores muito grandes ou cachos grandes, principalmente quando se trata de híbridos. plantas de hastes longas, finas e flexíveis em geral  não precisam ser tutoradas, mas muitas vezes se tutora para fazer arranjos, ou para dar um pouco mais de firmeza para hastes exageradamente grande como de alguns Oncidiuns.
Algumas Cattleyas com poucos botões muitas vezes são apenas amarrados os botões com fins de separação dos mesmos para dar melhor apresentação a planta. No caso das hastes o ideal é que vá fazendo o tutoramento ao longo do desenvolvimento da haste já que ela neste período de crescimento se encontra mais flexível e menos propensa a quebras e sempre ir colocando novas amarrações conforme ela vá crescendo e sempre ir guiando-a no sentido do tutor com cuidado. segue foto do exemplo deste tutoramento:




No caso os botões de plantas do grupo das Cattleyas muitas vezes tutorando a haste principal é o suficiente, mas muitas vezes é necessário tutorar botão por botão e nesse caso é preciso fazer amarrações nos arames de acordo com o número de botões para um adequado tutoramento e separação dos botões e sempre lembrar que o tutoramento destes devem ser feito após sua ressupinação ou virada completa, senão eles podem abrir para cima ou tortos.
 segue agora exemplos de armação dos arames para tutorar os botões:

exemplo de amarração para 3 botões
Então, termino esta postagem sobre o assunto agradecendo pela atenção de todos vocês e esperando que tenha conseguido transmitir esta mensagem a vocês e como sempre quaisquer dúvida estarei sempre a disposição para responder sempre que possível!
Desejo a todos vocês um ótimo feriado e feliz Páscoa a todos!!

12 comentários:

  1. Gostei muito deste post, eu nunca consigo fzer o tutoramento de minhas orquideas, tenho medo de machucar a haste. minhas phal deixo à vontade, e os cachos com as flores ficam pra baixo, como estao penduradas fica bonito.
    parabens pelo blog, tem me ajudado bstantem ja que estou começando agora.
    gracinda

    ResponderExcluir
  2. Andre,como e eu preparo a fibra de coco para plantar orquideas? Por que aki onde moro e o substrato mais em conta pra mim. So q eu tenho plantado e nao tenho bons resultados me falaram q tem q ter um tratamento expecial por causa da acidez do coco. Eu tbm queria saber sobre a adubaçao, estou usando organico farinha de osso e torta de mamona. Muito obrigado. poderia deixar a resposta no mei e-mail jorgin_add@hotmail.com. Nova Venza-Go

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Boa Tarde! Então lí sua pergunta e quanto a questão da fibra de coco o interessante é usar o chip de coco, que seria pedaços cortados da própria casca do coco, depois dele seco e tratado. O tratamento basicamente consta em primeiramente pegar o coco verde depois de retirada a sua água e todo seu interior colocar para secar, podendo colocar para secar inteiro ou já cortado ao sol. Após secar totalmente deve-se então colocar as cascas de molho em um recipiente com água limpa, sendo que essa água deve ser trocada uma vez ao dia e esse processo deve se repetir durante uma semana. No último dia do tratamento acrescente um pouco de água sanitária ou esse cloro que se compra para limpeza também para finalizar o tratamento dando uma esterilizada no chip. concluindo o tratamento enxágüe bem a fibra e pronto ela estará pronta para o uso, mas não a desfie e use a em pedaços, podendo cortar em cubos ou outras formas. Agora mesmo com o tratamento o chip de coco não é interessante usar puro pelo fato que ele tem uma durabilidade menor e com o tempo ele vai degradando, mas em mistura ele se mostra um bom componente. Se vc conseguir achar a casca de pinus é também uma boa opção para fazer a mistura com o chip de coco e a brita, desde que não seja a brita calcária é aconselhável para usar na mistura. Para a mistura vc pode fazer usando carvão+chip de coco+brita, ou Carvão+casca de pinus+chip de coco+brita se conseguir a casca de pinus na região. A casca de Pinus também precisa do tratamento, mas é comum encontra-la já tratada.
      Quanto a questão da adubação existem diversas maneiras de se adubar corretamente, sendo com adubos orgânicos ou minerais, o que independente da fonte é necessário é que ela seja completa e balanceada. No caso do uso dos orgânicos, embora eles costumem ser bem completos é difícil saber ao certo por eles terem muita variação na sua composição o teor dos nutrientes ao certo, mas em geral a farinha de osso junto da torta de mamona é uma opção interessante e caso você esteja notando bom desenvolvimento não deve-se trocar. Agora, como falei, a dificuldade dos orgânicos é não saber exatamente seus teores e nesse caso o mineral tem essas vantagens de já vir detalhado em seu rótulo. Existem bons adubos minerais próprios para orquídeas completos e balanceados que você pode comprar no site dos orquidários comerciais com entrega para todo brasil e podendo entregar pelo PAC que é mais barato. Também é possível comprar substratos prontos já em alguns desses orquidários comerciais, sendo um bom orquidário o 4 estações para esse fim. Espero ter te ajudado, mas caso precise de mais informações ou tenha mais dúvidas, pode perguntar a vontade que terei o prazer de te responder. Uma Boa tarde!!

      Excluir
  3. Ola Andrew plantei minhas orquideas em cachepos de madeira que eu e meu marido fizemos e busquei no mato madeira de troncos já deteriorados sabe me dizer se é mesmo um bom substrato para a orquidea? Meu email é micheliaw@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! O cachepot é ótimo para o plantio de oquídeas, entretanto a madeira deteriorada não é um bom substrato, pois este tende a ser muito ácido e esfarela com facilidade, o que prejudica o desenvolvimento das raízes comprometendo a planta. O interessante é usar madeiras que estejam secas, porem firmes, novas e de preferencia de espécies que não possuem muito tanino. Caso a madeira possua muito tanino esta deve passar por tratamento para remover o tanino. Geralmente deixe-a de molho por uma semana com um pouco de água sanitária trocando a água uma vez por dia e depois enxaguando e deixando secar para então usar normalmente. Muito utlizado no momento é a mistura da Casca de pinus já tratada com carvão e brita, que muitas vezes já compramos pronto nos orquidários comerciais que muitas vezes vendem pela net e entregam para todo Brasi. Uma dica de um bom orquidário que vende bons substratos é o Orquidário Oriental.
      Bom espero ter te ajudado, mas tendo mais dúvidas é só entrar em contato novamente. No mais, tenha uma ótima semana e até a próxima!

      Excluir
  4. Olá Andrew! estou reenvasando minhas phal, tirando seus tutores originais (aqueles de arame encapados), e deixando sem. Mas estou preocupada quando elas florirem. Como eu falo pra colocar novamente um tutor daqueles, que tb é preso no vaso, para que a orquidea fique bem firme?? procurei no google, youtube, e não achei nada a respeito... Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ollá! aquele tutor que é preso ao vaso você basicamente vai pegar um arame galvanizado que pode ser deste encapado ou liso bem esticado. Para saber como esticar veja o vídeo que tem aqui no blog ensinando como esticar arame. o vídeo está no menu principal em dicas. feito isso você pode depois fazer uma dobra nesse arame com o alicate de tal modo que ele fique encaixado na borda do vaso ou você faz um furo no vaso e prende o arame amarrando neste buraco. então o resto dele deve entrar em contato com o vaso sendo que a planta pode ser amarrada nele e então ele deve seguir reto para cima com o tamanho suficiente para a haste e então você vai tutorando a haste com cuidado conforme ela vá crescendo. Pode-se usar o arame amarrilho para essa tarefa ou aquelas pirainhas em miniatura de cabelo que é bem prático. Bom espero ter ajudado, mas tendo dúvidas 'é só entrar em contato novamente. Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  5. ola td bm,eu comprei um ,fertilizante humusfertil fertilizante mineral misto,formula 10 10 10 para orquideas ,aki na embalagem diz que dissolve,uma colher de cha em 1 litro,de aguá ainda nao fiz ate pq fiquei na duvida ,pq eu adubei minha orquideas uns 10 dias posso usar esse fertilizante,normal a gente rega as raizes como se fosse,regar uma planta normal por eu ,ter adubado posso usar,o fertilizante ,me oriente por favor obgd

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alexandra! Você adubou sua orquídea com qual fertilizante antes? Olha para adubar é só regar normalmente com o adubo dissolvido conforme a instrução da embalagem principalmente nas raízes, ou então pulverizar com um borrifador ou pulverizador. Agora sempre adquira um bom produto que seja o mais completo e balanceado possível. Sugestão: Biofert Orquídeas e faça a adubação periódica semanal ou quinzenal.

      Excluir
  6. Andrew, por gentileza, qual o momento certo do crescimento da haste (tamanho) de uma Phalaenopsis para se iniciar o tutoramento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Suzi! Com as hastes ainda nova conforme vão crescendo já devem sendo tutoradas com muito cuidado para não quebrar, principalmente no momento em que os botões começam a se formar pois essa parte é a mais tenra da haste.

      Excluir