-->

Leia antes de iniciar a a leitura no Orquídeas Sem Mistério!

Tutorial do Blog Orquídeas Sem Mistério.

Olá Pessoal!! Estou agora atualizando o Tutorial deste blog, uma vez que ocorreram algumas mudanças em sua funcionalidade tornando o mais pr...

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Aprendendo a interpretar o que nossas Orquídeas nos dizem 1 - Comportamento do crescimento

Olá pessoal! Venho aqui para iniciar uma conversa sobre um assunto bem interessante. Para isso lhes faço uma pergunta: Vocês entendem o que a sua Orquídea quer te dizer? Não?
Pois é pessoal, parece algo esquisito mas não é pois nossas orquídeas falam o tempo todo com a gente sobre todo tipo de assunto que se possa imaginar, agora muitas vezes ou não prestamos atenção para o que elas estão dizendo ou não entendemos os seus sinais.

As Orquídeas não tem bocas nem formam palavras para falar com a gente, mas elas nos dizem o que querem através de sinais como mudança de cor, rigidez ou flacidez das folhas e plantas, manchas, padrões de crescimento e tipos de crescimento. Em fim são vários os sinais que as plantas mostram e cada um pode significar alguma coisa, mas para introduzir este assunto de maneira mais clara observem algumas fotos pessoal:


















Então, conseguem entender alguma coisa nas fotos? Não?

Vamos então começar a decifrar essas fotos juntos...

alguns comportamentos das orquídeas são bastante interessantes e por mais que pareça algo sem importância, mas que pode ser muito útil para o cultivo é entender o comportamento do tipo de crescimento das orquídeas, pois dependendo do tipo algumas formas de cultivos podem ser melhor que outras de acordo com o tipo de crescimento da planta.

Aprendemos nos cursos básicos ou nas leituras básicas de orquídeas que elas possuem 2 tipos básicos de crescimento, que são as simpodiais e as monopodiais. As simpodiais são a maioria e são as que tem o crescimento na horizontal formando o rizoma e brotações de crescimento determinado na vertical que podem ou não formar os pseudobulbos e as monopodiais são as que crescem em caule único de forma indefinida, mas mesmo estes dois tipos básicos existem algumas diferenças de comportamento que são interessante e podem ser muito útil na hora de escolher o local para plantar.

No caso das simpodiais podemos ter diferenças de comportamento quanto a forma com que a planta cresce, podendo ser esta radial(cespitoso), linear, indefinida ou zig zag. Vejam alguns exemplos:


Crescimento radial(cespitoso) com surtos de crescimento bem definidos com emissão de frentes distribuídas de forma igual ao longo de toda a planta formando um circulo
Crescimento radial(cespitoso) com surtos de crescimento bem definidos com emissão de frentes distribuídas de forma igual ao longo de toda a planta formando um circulo
Crescimento radial(cespitoso) com surtos de crescimento bem definidos com emissão de frentes distribuídas de forma igual ao longo de toda a planta formando um circulo
Crescimento radial(cespitoso) com surtos de crescimento bem definidos com emissão de frentes distribuídas de forma igual ao longo de toda a planta formando um circulo

Crescimento Linear - quando a planta tende a ter uma ou poucas frentes crescendo de forma linear ou ligeiramente em curva


Crescimento Linear - quando a planta tende a ter uma ou poucas frentes crescendo de forma linear ou ligeiramente em curva

Crescimento Linear - quando a planta tende a ter uma ou poucas frentes crescendo de forma linear ou ligeiramente em curva
Crescimento Linear - quando a planta tende a ter uma ou poucas frentes crescendo de forma linear ou ligeiramente em curva

Crescimento Linear - quando a planta tende a ter uma ou poucas frentes crescendo de forma linear ou ligeiramente em curva
Crescimento Linear - quando a planta tende a ter uma ou poucas frentes crescendo de forma linear ou ligeiramente em curva

Crescimento irregular  e em zig zag- quando a planta não possui um padrão de crescimento definido podendo crescer em surtos de algumas frentes e ter freqüentemente surtos temporãos.






Outro comportamento importante nas simpodiais é quando a forma como o rizoma cresce, podendo ser rasteiro, subindo se afastando do substrato e apoiando nas raízes, subindo em forma de escada, crescimento curto, crescimento longo dentre outros. Vejam alguns exemplos:


Rizoma rasteiro normal
Rizoma rasteiro normal
Rizoma rasteiro normal

Rizoma subindo fugindo do substrato e com raízes suportes o firmando.

Rizoma subindo fugindo do substrato e com raízes suportes o firmando.

Rizoma subindo crescendo em forma de escada



Rizoma de crescimento muito curto com entrenós bem curtos com pequeno avanço em comprimento.

Rizoma com crescimento longo com entrenós bem longos ocupando grandes espaços.


Já nas monopodiais os comportamentos são mais simples, mas podem ser importantes. Nas monopodiais existem as plantas com grande tendência de ramificações e emissões de keikes e outras com crescimento em haste única mais definido. Algumas Vandas como alguns híbridos de Vandas, a Vanda tricolor a Renanthera e a Vanda teres tem grande tendência a emitirem keikes ao longo do seu caule, principalmente mais próximo a base ou na porção central de seu caule, sendo uma característica interessante que permite que se possa formar uma verdadeira touceira dessas Vandáceas ou retirar os keikes para fazer novas mudas da mesma planta.

Visto estes comportamentos das simpodiais e monopodiais o que se pode concluir é que eles podem ser muito úteis em termos de estudos botânicos ou do próprio da agronomia, mas podem ser também extremamente úteis o cultivo doméstico. Por exemplo, temos a forma como a planta cresce que dependendo da forma alguns recipientes ou formas de plantio podem ser melhor que outros. Por exemplo, uma planta que cresce de forma radial emitindo várias frentes de crescimento em forma de surtos ao mesmo tempo distribuídas pela planta de forma igual fazendo com que a planta cresça formando um circulo nos indica que recipientes arredondados podem ser as melhores opções e já as placas e tronquinhos podem não ser tão interessantes a não ser que sejam plantas de pequeno porte como micro ou a placa seja mais larga para plantas grandes. Já plantas de crescimento linear ou zig zag que emitam poucas frentes e estas tem um crescimento mais reto o pouco curvado recipientes mais estreitos que gastem menos substratos sem dúvida são ótimas opções assim como placas e cascas ou madeiras. Já plantas de crescimento irregulares ficam bem em quase todo tipo de recipiente, principalmente os cachepots bem vazados ou placas que permitam que a planta se espalhe para todos os lados e ocupe bem a área do recipiente ou placa.

Já a forma como o rizoma se desenvolve pode ser muito útil em como a planta pode ser replantada. Como grande parte dos rizomas crescem de forma rasteira as plantas em geral devem ser plantadas ou amarradas com os rizomas totalmente encostado no substrato ou placa, mas algumas plantas podem ter crescimento com rizoma fugindo do substrato, como algumas Laelias e Brassavolas e outras Oncidineas ou Bulbophylluns. No caso destas que fogem e se apoiam nas raízes pode ser muito mais interessante o plantio da planta com a frente levantada deixando a frente da planta totalmente aérea. Quanto aos rizomas curtos e rizomas longos eles podem ser determinantes na hora que escolhemos o tamanho dos vasos. Um grande exemplo de rizomas curtos são os Dendrobiuns e por essa razão eles demoram muito tempo para ocupar o volume de um vaso, sendo este um dos grandes motivos que faz com que eles sejam e devam ser plantados em vasos bem pequenos. Já os bulbophylluns são os grandes exemplos de rizomas longos podendo inclusive ser enrolados fazendo muitas vezes que os cachepots ou placas sejam as melhores opções para estas espécies e também.

Agora um outro comportamento e este sim é muito importante mesmo a gente conseguir entender é o comportamento do tamanho dos bulbos principalmente em relação ao último, ou seja, uma planta saudável deve sempre crescer com o bulbo novo maior que o último tendendo a ter um crescimento próximo ao gráfico de uma função exponencial, ou seja o crescimento ideal da planta deve ser o mais exponencial possível. Em plantas que atinjam o tamanho máximo o bulbo novo deve manter o tamanho do último com ligeiras reduções no máximo, sendo que se fosse colocar isto em um gráfico o crescimento seria uma reta horizontal indicando a constância.
Observem estas fotos agora para depois continuarmos com o assunto:

Planta mostrando um ótimo crescimento tendendo ao exponencial

Planta mostrando um ótimo crescimento tendendo ao exponencial


planta depois de um tempo com crescimento crescente mas em rítimo lento um pseudobulbo novo com crescimento mais expressivo podendo tender ao exponencial com o tempo.

Planta mostrando um ótimo crescimento tendendo ao exponencial

Planta mostrando um ótimo crescimento tendendo ao exponencial

Planta com crescimento constante após atingir tamanho máximo adulto

Planta com crescimento constante após atingir tamanho máximo adulto

Planta mostrando um ótimo crescimento tendendo ao exponencial

Planta mostrando um ótimo crescimento tendendo ao exponencial

Planta que apresentou problema e o último pseudobulbo a cima apresentou crescimento inferior ao penúltimo pseudobulbo: Motivo: sentiu a cápsula e o substrato não estava bom, problema já corrigido.  

Planta mostrando um ótimo crescimento tendendo ao exponencial e segunda frente com broto novo terminando de crescer.
Planta mostrando um ótimo crescimento tendendo ao exponencial 

gráfico desejado na fase de crescimento da planta. Gráfico exponencial
Gráfico desejado quando a planta atingir tamanho máximo: tamanhos de pseudobulbos constantes.
Gráfico indesejado em qualquer fase da planta: Gráfico decrescente ou fase de declínio da planta. 



Observaram as fotos?
Então vamos aos gráficos e a sua interpretação: Em plantas jovens com crescimento satisfatório bom cultivo elas tendem a ter um crescimento como no primeiro gráfico sempre tendendo a um crescimento exponencial que dura até que a planta atinja a sua altura ou diâmetro máximo de pseudobulbo. Agora se por acaso uma planta em fase de crescimento não está desenvolvendo bem, seus pseudobulbos até ficam maiores, mas em rítimo bem lento ou eles tendem a ficar do mesmo tamanho ou mesmo diminuir de tamanho é um sinal que alguma coisa não está bem e neste caso é necessário verificar o que está ocorrendo, se é problema com a adubação, se a planta está bem de raízes, se está sofrendo algum ataque de pragas ou doenças se o ambiente está legal, em fim o que está errado deve ser localizado e corrigido para que a planta volte a crescer como no primeiro gráfico. Quando a planta atinge o tamanho máximo em condições ótimas de cultivo os bulbos subseqüentes tendem a manter tamanho semelhante ou ter uma ligeira redução insignificante tendendo a planta a ficar como o gráfico do meio indica, ou seja constante e neste caso é fundamental tentar mantê-la sempre neste patamar, pois se os pseudobulbos começarem a diminuir como indica o terceiro gráfico em uma decrescente contínua significa que mais uma vez tem alguma coisa errada com o cultivo sendo necessário identificar onde está o problema para que ele seja corrigido e a planta retome o crescimento e volte a atingir o tamanho máximo. Concluindo se você ver alguma planta que esteja começando a diminuir o tamanho dos bulbos fique em estado de atenção pois pode ser um hora de rever alguma coisa em seu cultivo e se de fato os bulbos continuarem a diminuir em um declínio contínuo é a hora de tomar alguma atitude para reverter a situação.

Então pessoal estes conceitos com gráficos e conceitos que aprendemos lá na matemática de funções parecem coisas muito complexas, mas em uma abordagem bem simples e com observações em nossas plantas facilmente observamos estes comportamentos e a partir deles conseguimos saber o que elas querem nos dizer. Gostaram pessoal?
Bom espero que seja de grande ajuda a vocês e conforme o assunto for sendo desenvolvido farei outras postagens sobre o tema.
Até a próxima pessoal e tendo dúvidas já sabem, é só entrar em contato que terei o prazer em ajudar! No mais, até a próxima!




27 comentários:

  1. Obrigada pela matéria. ´Muito boa.
    abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ótima matéria
      acho que deu um trabalho para fazer
      tenho uma cattleya e esta como a foto 2 umas manchas vermelhas é normal Andrew?

      Excluir
    2. Olá Jeferson! sim geralmente é normal em plantas mais escuras, principalmente quando são mais expostas ao sol. esse avermelhado é a antocianina que ela produz em brotos novos ou em locais com iluminação mais intensa. Não é nada a se preocupar. Abraços e Obrigado!

      Excluir
  2. Queria saber como polinizar uma orquídea.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Veja sobre polinização nesta postagem aqui e outros assuntos também.

      http://orquideassemmisterio.blogspot.com.br/2012/02/semeio-e-recultivo-de-orquideas_03.html

      Excluir
  3. Eu tenho 22anos sou extremamente apaixonado por orquidias, seu blog tem me ajudado muito com o cultivo a princípio tenho 53 vasos, todas mudas novas estou com um problema com uma Vanda que já adquire em mau estado, ela está com duas raízes porque o resto estava morto ela está muito feia, mas não desisti ainda molho a conforme o clima oq posso fazer para melhorar esta? Muito obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rafael Olha plantas debilitadas são sempre um bom desafio de aprendizado, agora o fundamental é não deixar que falte água neste momento em que ela está fraca de raízes. A umidade relativa do ambiente próximo a ela também deve ser mantida boa sem deixar ficar seco demais para evitar que ela desidrate e uma boa adubação completa e balanceada com um adubo que tenha inclusive o cálcio na formulação e micronutrientes para que ela possa se recuperar plenamente e lançar novas raízes e muita observação. Por enquanto os cuidados são esses e você também pode adicionar umas 2 a 3 vezes por semana vitamina b1, podendo usar o Vitagold que é vendido em PETs sendo a dosagem de 2gotas por litro. Isso pode ajudar a restabelecer a planta e facilitar na recuperação.
      Bom tendo qualquer outra dúvida é só entrar em contato novamente.
      Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  4. Andrew e uma pena acabei perdendo minha vanda pink !
    Mas ja adquiri mais duas que se encontram em otimo estado rs nossa meu orquidario esta lindo ! Com plantas em plena saude!
    Mas uma vez o agraeço suas dicas de cultivo me ajudaram bastante !

    ResponderExcluir
  5. Ganhei nj uma phalaenopsis que esta debilitada com folhas podres mas a rais se encontra boa oq fazer para que ela volte a brotar ? Me add no face fazendo favor andrew ! Meu face é rafael da silva barreira obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rafael! Quando acontece isso com as Phalaenopsis e as folhas caem, mas as raízes continuam boas pode ocorrer que com o tempo elas soltem um broto novo, mas não é garantido. Mantenha os cuidados dela, como se estivesse saudável, mas evite excesso de umidade ou ambiente seco demais. Com as Phalaenopsis sadias evite deixar água acumulada no meio da folha e evite a rega noturna para evitar apodrecimento das folhas.
      Bom espero ter ajudado, mas tendo outras dúvidas é só perguntar. Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  6. Ola andrew la vm dona bete kkkkk amigo tô cm duvidas d como cuida da vanda ela tá cm raizes muito longas e algumas parece seca o q faço cm as q tao seca? No entanto acho q ta bm pois tem varias raizes novas saindo so q umas crescendo p cima li notro blog q ela precisa d + adubaçao q as otras vc pode me ajudar ? Agradeço dsde ja aguardo abraço d urso p vc grande bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Elisabete! Olha, é normal algumas raízes secarem com o tempo, pois elas tem tempo de vida relativamente curto, o que não pode é todas as raízes secarem, mas de qualquer forma se ela está enraizando bem sinal que está normal e raízes cumpridas é normal e bom sinal nas vandas. Agora, se tem raízes crescendo para cima é sinal que a umidade está mais concentrada na parte de cima, o que é muito comum em ambiente com telhados de barro ou outro tipo que segure umidade em cima, mas isso não é problema algum para a planta e se ela está bem e florindo não há nada com que se preocupar. Quanto a adubação de fato elas precisam ser adubadas regularmente com adubos completos e balanceados e que tenha cálcio na formulação. Adubando semanalmente com um bom adubo elas respondem muito bem.
      Bom, espero ter ajudado, mas tendo outras dúvidas é só entrar em contato. Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  7. Obrigada andrew so 1duvida essa adubaçao semanal é cm adubo diluido normal d acordo cm o rotulo ou mais diluido q o normal? Aproveitando peço 1 sdica sobre a cymbidium pendente da foto q t enviei lembrando q moro no DF a umidade aq chega a15 pr cento em dias mais quentes ela ta cm bulbos novos em toda volta e raizes enormes li em algum lugar q ussa areia no substrato procede? Eu pretendo prende em arvore amoreira q tal? Valeu andrew seu blog é meu socorro Deus t abençoe sempre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Elisabete! No caso pode usar a dosagem recomendada, principalmente se for usar o BeG Orquídeas ou o Biofert Orquídeas.

      Quanto ao Cymbidium pendente lembrar que se trata de uma planta terrestre e a montagem do seu substrato basicamente é a mistura de uma boa terra adubada q vc compra nesses hortos ou garden centers. pode misturar terra vegetal a mistura ou entao um pouco de humus de minhoca e caso vc ache q a terra ta muito argilosa pode colocar areia pra melhorar a drenagem e pode tbm misturar substrato de orquídeas pra melhorar a aeração, mas a base é a terra adubada para o caso dos cymbidiuns.
      Bom, espero ter ajudado, mas tendo mais dúvidas é só entrar em contato novamente.
      Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  8. Obrigaga andrew ñ sabia q era terrestre e qanto a divisao d touceiras cmo proceder ? É igual as otras plantas ? Entao andrew ñ devo dexa cmo esta sem terra porq cmo ñ sabia nada da planta e axei q o substrato tava velho porcausa do chero d terra eu tirei do vaso original lavei a raiz e coloqei em vaso cm casca propria p orqideas ela gosta de agua ou ñ ? Valeu andrew vc e o fada das minhas orchi brigadao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Elisabete! Sim, é igual a das outras a divisão, mas uma dica é deixar entouceirar para que fique uma planta bem bonita. As Cymbidiuns gostam de um substrato com uma base de solo, por serem terrestres e no caso uma terra rica em matéria orgânica e adubada, tipo dessas compradas prontas é o mais indicado, podendo misturar substrato de orquídeas para melhorar ainda mais a drenagem. Elas gostam de ficar umidas, mas nunca encharcadas e nunca excessivamente secas para um bom cultivo e luminosidade mais intensa com algumas horas de sol pleno.

      Excluir
  9. obrigadao andrew comprei esse fim d semana o biofert pronto p uso esse é so borrifar ja vem pronto ou sera q posso diluir em agua? qando vc diz sol pleno na cymbidium pode ser o d fim d tarde?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Otimo! O Biofertr pronto uso é só borrifar, mas ele rende pouco e é caro, compensa mais comprar concentrado e diluir para usar.
      Quanto ao sol do cymbidium é sol algumas horas do dia, podendo ser um pouco mais forte, mas faça essa climatização aos poucos para não amarelar demais a planta e queimar folhas. Melhor época para aclimatar é no inverno quando o sol é mais fraco.

      Excluir
  10. tenho uma vanda,no jardim de inverno esta com flor ainda mas,acho que tem raiz secando.sera que tenho que molhar toda noite.obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Vandas apreciam ambientes mais quentes e com luminosidade intensa, porém protegida do sol direto e bastante umidade no ambiente. As regas quando elas são cultivadas em raiz nua devem ser frequentes, diárias e os melhores horários são início da manha e fim do dia. Evite molhar muito pela noite, a menos que não seja possível, mas tente molhar preferencialmente pela manha.
      Forte abraço!!

      Excluir
  11. Olá. Muito Boa suas explicações , fico atenta a todas
    Obrigada

    ResponderExcluir
  12. Obrigada ,fico atenta a todos ensinamentos

    ResponderExcluir
  13. Obrigada ,fico atenta a todos ensinamentos

    ResponderExcluir