-->

terça-feira, 10 de maio de 2011

Pragas +Doenças=Dor de Cabeça+desespero

Olá orquidófilos e demais! hoje estou aqui para falar de um assunto que simplesmente, para todos que cultivam orquídeas ou outras plantas sabem que é uma verdadeira dor de cabeça e a equação de brincadeira do título da postagem ela já diz tudo. Ora, mas por quê que isso nos apavora tanto? Por quê que temos tanto medo? e por quê que elas aparecem para atrapalhar nossos cultivos??

É simples pragas e doenças são organismos que estão no ambiente para tentar sua própria sobrevivência, cada um do seu jeito e na natureza esses indivíduos estão sempre presente, entretanto na natureza existe o equilíbrio natural das coisas que mantem as pragas controladas pelos seus predadores e suas doenças, assim como também para os microrganismos que causam as doenças. O pensamento de Praga e Doenças é o mesmo, porque em ambos os casos é causado por organismos e a única coisa que muda em geral é que o que consideramos pragas, que em geral são os insetos causam nas plantas o que chamamos de injúria, que é uma lesão que após o sumiço da praga ela estaciona e fica apenas restrita ao local onde o inseto atacou, já as doenças que são causadas pelos microrganismos digamos que é um processo continuo em que as lesões não são uma causa isolada como com um inseto e sim elas evoluem e podem infestar a planta de forma sistêmica dependendo da doença, sempre de forma continua.
O fato é que na natureza como esses organismos estão sempre em equilíbrio com seus inimigos e o ambiente ainda ajuda não existe epidemias e existe a convivência que é estabelecida graças ao equilíbrio da natureza que é perfeita.
Agora no cultivo a história muda completamente. Em geral o ambiente pode estar desfavorável pro bom desenvolvimento da planta, ou ter muitas plantas de um único grupo ou espécie de forma bem adensado, as práticas que usamos podem desfavorecer o aparecimento dos inimigos naturais e assim o perfeito equilíbrio da natureza já não existe mais e assim começamos a ter problemas de pragas e doenças, algumas vezes de forma catastrófica.
O fato é que quando tamos cultivando nossas orquídeas só pensamos nelas em ter belas flores e plantas verdinhas, mas não pensamos no ambiente de cultivo no equilíbrio do ambiente. Essa é uma mentalidade, que não é só para orquídeas mas a agricultura moderna em geral tem e daí surgiram as grandes monoculturas tentando otimizar ao máximo a produção utilizando produtos pesados, mas o meio ambiente ficou esquecido e a atual agroecologia tenta resgatar essa importância. No cultivo de orqu'ídeas, seja caseiro ou comercial é a mesma coisa. O orquidário precisa também possuir um certo equilíbrio e esse equilíbrio se consegue com primeiro uma tentativa de se fazer uma instalação adequada para as plantas que consiga ser o mais fiel possível às condições naturais pra que a orquídea se desenvolva bem, com bom arejamento, sombreamento adequado, controle de umidade adequado, proteção contra excesso de chuva e claro a população não exagerada também contribui. Quanto a questão do adensamento esse é um caso sério, porque construimos o orquidário pra tantas plantas, mas acaba que com o impulso irresistível de comprar mais e mais sempre em busca de novidades acabamos exagerando e o orquidário fica super lotado, mas mesmo assim é possível se ter um certo controle sem ter que exagerar no uso dos agrotóxicos. Só de termos as instalações adequadas, o que pode ser conseguido de várias maneiras, o problema de pragas e doenças diminui muito, porque com as plantas desenvolvendo de forma saudável florindo normalmente favorece o aparecimento dos inimigos naturais sendo que estes são organismos que mais do que nunca devemos preserva-los dentro do orquidário, já que eles são fundamentais para o equilíbrio do ambiente. Quanto ao cultivo nem precisa-se entrar muito em detalhe uma vez que isso ficaria muito repetitivo, mas a adubação equilibrada, com limpeza da planta quando necessário assim como rega, iluminação adequada, essas práticas todas por si só já fornecem um ótimo controle sobre doenças e pragas já que a planta estará firme e forte.
Uma das coisas importantíssima é  para se manter esse equilíbrio e não sair matando qualquer inseto ou bicho que vemos pelo orquidário é reconhecer que nem todo inseto é MAU e sim que existem muitos aliados e claro o controle adequado dos insetos e doenças começam com a observação periódica do orquidário e o reconhecimento de quem é bom e quem é ruim.
Quanto ao reconhecimento das pragas e doenças não mencionarei elas aqui, já que existem n materiais bem detalhados pela Internet e apostilas, inclusive com fotos que explicam bem, mas já os inimigos naturais existem menos materiais, então mostrarei alguns exemplos de inimigos naturais que ajudam no controle das pragas e doenças.
Vamos começar com os insetos que podem ser predadores de pragas, parasitas e parasitóides.
Um dos mais vorazes e interessantes insetos que podemos preservar no orquidário são as Joaninhas, bonitinhas e simpáticas são predadoras vorazes, tanto a larva quanto a adulta e adoram se alimentar de cochonilhas e pulgões

Joaninha adulta

Larva da Joaninha
Os insetos da família Chrysopidae, mais popularmente conhecidos como "Bicho lixeiro"é um outro inseto predador extremamente voraz que se alimenta de diversos insetos pragas, como cochonilhas, pulgões, ovos de lagartas, dentre outros e é comum a larva de muitos destes ao sugar o conteúdo desses insetos colocarem as carcaças e suas costas que depois de um monte parece um amontoado de lixo que ele carrega dando origem ao nome popular.
Bicho Lixeiro adulto
Bicho lixeiro jovem cheio de restos nas costas se alimentando de ovos.

Existem diversas moscas predadoras, dentre elas as da da família Syrphidae, popularmente também conhecidas como "Dedinho". Muitas dessas pequenas moscas simpáticas são importantes predadoras também e suas larvas costumam se alimentar de diversos insetos como tripes, pulgões, cochonilhas...
Sirfideo
As aranhas também, embora sua aparência assustadora, são importantes predadores que se alimentam de diversos insetos.

aranha em sua teia
As tesourinhas são outro grupo importante de predadores, principalmente para lagartas.
tesourinha
As formigas(exceto as cortadeiras) são outro grupo importante de insetos, já que elas espantam diversos insetos ou se alimentam deles, entretanto deve se ter cuidado com formigas quando se tem presença de sugadores como pulgões e cochonilhas, porque então elas passam a proteger esses insetos em troca das suas fezes açucaradas, agora sem esses insetos elas são ótimas aliadas contra os demais.
formiga atacando lagarta.
vespas, marimbondos(exceto vespa das orquídeas) são excelentes predadores também bastante agressivos.
vespa
 Assim como existem os Tripes pragas, existem os Tripes predadores, que são maiores lembrando até formigas e se alimentam de Tripes pragas e outros insetos.
Tripes predador
 Assim como existem os vários tipos de ácaros pragas que se alimentam das orquídeas existem os ácaros predadores que se alimentam desses ácaros.
Assim como percevejos pragas existem os percevejos predadores que se alimentam de diversos outros insetos pragas importantes.

Exemplo de um percevejo predador.


Existem diversos besouros que também são importantes inimigos naturais, principalmente para pragas de substrato.
Quanto aos parasitóides existem diversas moscas, e vespas parasitóides, como exemplo podemos citar a vespinha Trichogramma, um pequeno inseto parasitóide de ovos e lagartas jovens que já existem produtos comerciais, facilmente achados no Brasil e elas depositam seus ovos nos ovos de diversas lagartas e assim sua larva os devora de dentro para fora.
Trichogramma parasitando um ovo.
Vespa parasitóide parasitando pulgão


Quanto aos parasitas podemos citar alguns fungos, bactérias e vírus, que inclusive já existe produto comercial no Brasil que se encontra com alguma facilidade. Dentre eles os fungos Belveria bassiana que causa doença no inseto e o mata recobrindo o corpo dele com um mofo esbranquiçado

Lagartas tomadas por Beuveria bassiana

outro fungo é o Metarhizium que em conjunto com Belveria forma um ótimo produto existente no mercado de largo espectro.
Dentre as bactérias a mais famosa é o Bacillus thuringiensis mais específicos para lagartas ele causa doença nas mesmas e as mata.
Morta pelo BT
O vírus Baculovirus é outro patógeno importante para controle de lagartas e a lagarta contaminada com ele ela morre e fica com aspecto mole, amarelado, depois escurecendo e com odor bem desagradável. Essas lagartas mortas com esse vírus podem ser recolhidas congeladas e depois trituradas, dando origem a um ótimo insecticida biológico para lagartas, já que essas mortas estão repleta do vírus.

Em fim gente, não é a função aqui detalhar em linguagem técnicas esses bichos, mas sim mostrar que eles existem, além de outros e a sua importância em preserva-los. Aos que tiverem interesse em aprofundar sobre o assunto depois no final da postagem colocarei links mais específico de sites que vão detalhar as pragas, as formas de controle as doenças, as formas de controle e o site do agrofit para os interessados que quiserem entender um pouco mais sobre os agrotóxicos também.
Agora sabendo da import6ancia desses insetos, muitas vezes nem eles são o suficiente para manter o controle, mas sabemos que são importantes aliados e devemos preserva-los, mas quando damos de cara com uma situação que precisamos lançar mão de insecticidas ou mesmo nas doenças os fungicídas e antibióticos aí que precisamos ter alguns cuidados. Primeiro se não tivermos condição de diagnosticar corretamente o que ta acontecendo podemos pedir ajuda para Eng Agrônomos ou quem entenda do assunto, pois cada situação vai requeri um produto adequado. Em muitos casos, quando a infestação é pequena podemos fazer a remoção manual, quando se trata de cochonilhas, pulgões com escovas de dente macia e sabão de coco. No caso de doenças como podridão seca como a canela seca ou a podridão mole bacteriana e podridão negra quando em estágios mais iniciais podemos fazer a cirurgia com ferramenta esterilizada e a quente cortando toda a parte afetada fora sendo que este corte deve ser feito em tecido sadio pouco depois do início da lesão e depois aplicar um cicatrizante como canela em pó que é ótimo para prevenir o reaparecimento da doença ou mesmo Anaseptil em pó que também funciona bem. Em fim o fato é para o sucesso no cultivo e controle das pragas e doenças começa com o bom cultivo e boa instalação e depois nas observações periódicas do orquidário para então uma boa diagnose e assim posterior uma tomada de decisão adequada. Quando precisamos utilizar os agrotóxicos temos q lembrar que são produtos tóxicos, uns mais outros menos e que se precisa usar ptoteção(EPIs) e aplicar em dias mais frescos sempre final da tarde. No caso dos inseticídas aplicando final da tarde se evita a matancia dos inimigos naturais pelo fato em que o pico da atividade deles são nas horas mais quentes dos dias. Também já existem inseticidas seletivos que só matam pragas e não inimigos naturais, mas o uso desses produtos só deve ser usado com recomendação e com cuidado e na dosagem recomendada.
Outras medidas que ajudam na manutenção dos inimigos naturais é entorno do orquidário quando possível o plantio de plantas floríferas e aromáticas que favorece muito o aparecimento desses insetos benéficos, além  da preservação das matas sendo um outro fator importante. existem algumas plantas como cravo de defunto , citronela e outras que são ótimas aliadas no controle  de pragas e doenças, entretanto alguns cuidados devem ser tomado quando se usa o óleo de neem, As orquídeas são plantas sensíveis a óleo mineral, óleo de neem e se usados em concentração e horário inadequados podem causar fitotoxidez séria, lembrando até sintomas de viroses.
Por falar nas viroses existem diversas viroses que atacam as orquídeas e elas sempre nos causam muito medo, porque elas não possuem cura e atacam a planta de forma sistêmica, ou seja, a planta toda, entretanto a maioria não causam danos significativos a planta. Mas os mais graves como o ORSV e o CYMV devem ser respeitados e não deixar entrar no orquidário de maneira nenhuma.
Existem também lesões que são causados por distúrbios fisiológicos diversos que causam pigmentação das folhas, manchas e bolhas  que não possuem uma causa ao certo, mas é comum de acontecer e costuma assustar, pelo surgimento rápido e muitas vezes confundido com viroses. Segue aqui um exemplo meu de um híbrido que após eu me mudar de apartamento ele apresentou bolhas e manchas feiosas na parte de trás da folha, mas depois continuo com desenvolvimento normal sem problemas, provavelmente algum distúrbio que pode ter haver com a mudança


Outro tipo de lesão comum são as queimaduras de sol, muitas vezes confundidas com doença, entretanto a queimadura de sol é uma injúria, uma vez que a planta não tendo mais contato com a luz direta forte a mancha fica estagnada, mas ela se confunde muito com antracnose, que é uma doença causada por fungo. A diferença é que a mancha de queimadura sempre se situa em uma área plana da folha, que é onde tem maior incidência de luz, já a antracnose acontece em qualquer parte e tem tamanhos variados.

queimadura de sol

antracnose
Em fim encerro este post dizendo que não existe receita de bolo e sim muita dedicação e paciência e muito respeito com a natureza para um cultivo de orquídeas mais saudável e mais equilibrado e sempre tentar fazer o melhor cultivo possível das plantas para evitar os problemas sérios das pragas e doenças. Agora vou colocar os links dos detalhamentos das pragas e doenças e do agrofit para os interessados em aprofundar no assunto e qualquer coisa estou sempre disposto a ajudar e responder todas as perguntas sempre que possível. Até a próxima gente abraços!!

AGROFIT

BLOG TERRA DA LUZ


Doenças em "A Orquídea"

Doenças viróticas Em Orquídeas:




42 comentários:

  1. Boa noite Andrew. Alguma coisa está acontecendo com uma Oeceocaldes maculata minha. Parece que a espécie é essa mesmo. Parece manchas de sol (mas fica na minha varanda, não pega sol) como indica aí em cima, mas sinceramente, estou preocupada. Ela está somente no pinus. Será que eu tenho de colocar um pouco de terra adubada, já que se trata de uma terrestre???? Ela já floriu uma vez e agora não está bem. Ela é liiiiiinda e estou apaixonada por ela. Outra coisa que percebi é que ela tem uns bichinhos, parecem mosquitinhos minúsculos, todas as minhas plantas têm, orquídeas ou não. Tenho fotos mas não sei como e nem se posso postar. Grata desde já, Virginia.

    ResponderExcluir
  2. Olá Virginia! Bom a questão de manchas nas folhas podem ser vários fatores e sem olhar a planta ou fotos fica mais dificil afirma ao certo, mas uma coisa é que as oceoclades são plantas terrestres que em geral vivem nas matas e gostam daquela terra escura q fica por cima e aquele chão de folhas em decomposição da mata, então a casca de pinus pura não é uma boa opção. Pode-ser usado uma mstura de terra vegetal nela com a casca de pinus tbm ou mesmo aquele substrato pego na propria mata se possível que ela vai apreciar melhor, a unica coisa a atentar é na qualidade da terra vegetal q for usar, já que tem terras que são muito ruins e que compactam com muita facilidade, sendo que essas devem ser evitadas. Caso vc queira mandar fotos com detalhes e para mais esclarecimentos manda para o e-mail do blog: orquideassemmisterio@gmail.com e lá pode mandar fotos a vontade. Boa sorte!

    ResponderExcluir
  3. Boa noite Andrew.Existe fungecidas legalizados no Brasil que nós orquidofilos possamos fazer uso?

    ResponderExcluir
  4. Olá! Desculpa a demora em responder, mas estava muito ocupado e viajando todo o mês de julho. Quanto a fungicidas são poucos os registrados para plantas ornamentais e para orquídeas o Cercobin é o único registrado, embora se possa usar outros com eficiência, mas não se tem registro por questões burocráticas. Agora, esses produtos sempre precisam da supervisão do agrônomo e só podem ser comprado com o receituário agronômico e que seu uso de qualquer jeito e sem proteção pode ser perigoso, agora existem produtos natuais mais tranquilos que podem ser usados, vale a pena dar uma pesquisada e verá que existem várias opções, mas nada é melhor que um bom cultivo e bom ambiente para elas, o que fara que tenha poucos problemas. Bom cultivo!

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde Andrew!!

    Minhas orquídeas estão manchando as folhas de preto e logo em seguida amarelando.Gostaria de saber se há alguma coisa que posso usar para não perde-las.Sou de V.Redonda e por aqui não há ninguém que possa me orientar,
    as plantas ficam em meu terraço fora da luz direta do sol,costumo molhar de 2 a 3 vezes por semana( de acordo com o calor) e até a pouco tempo elas estavam saindo muito bem, agora que elas estão manchado.Se puder me ajudar agradeço! o meu email é nazare1970@gmail.com
    Ubrigada Nazaré

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nazare você teria como enviar as fotos das plantas para saber o que poderia está acontecendo para poder te ajudar melhor? Aparentemente o seu cultivo está bem certinho, mas as fotos podem ajudar bastante. Desde já fico no aguardo. grande abraço!!

      Excluir
  6. Boa noite! Estou muito satisfeita com as informações do blog, aproveitando a oportunidade gostaria de saber por que meus paphilopediluns saem botões e logo depois secam, sem que as botões se abram, uso adubo para floração intercalado com adubo de uso geral,ambos próprios para orquídeas. Grata pela atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ivanete Obrigado pela visita!
      Quanto ao aborto dos botões e pela adubação que você está fazendo ela pode está sofrendo de deficiência de cálcio. Os adubos que você está usando são o peters ou o plant prod?
      Ambos esses adubos são incompletos para orquídeas e costumam trazer bastantes inconvenientes, pois como são muito concentrado em nitrogênio, muito mais do que o necessário tendem a tornar as plantas muito flácidas sujeitas a pragas e doenças, fora que a falta de cálcio e outros micronutrientes podem provocar aborto de brotos de flores e outros danos também. Paphiopediluns de modo geral também não toleram substratos ácidos precisando de replantes mais constantes dependendo do tipo de paphiopedilum e de substrato. Eles também são muito sensíveis ao excesso de adubação e como possuem um desenvolvimento mais lento que outras orquídeas necessitam de uma adubação mais espaçada ou então mais diluida e rica em cálcio. Adubos muito fosforados não devem ser usados em Paphiopediluns também.
      Além da adubação onde ele está sendo plantado? a quanto tempo está nesse substrato? qual é sua região? qual seu clima e como está sendo feita sua rega? tem fotos da planta? gostaria de ver as fotos, para isso envie-as para o e-mail do blog: orquideassemmisterio@gmail.com
      Bom espero ter ajudado, mas ficarei no aguardo das fotos para poder ajudar melhor, mas fica a dica o principal problema possívelmente está na adubação.
      No mais, tenha uma ótima semana e até a próxima!

      Excluir
    2. Enviarei para seu email, mas caso dê errado, está aqui meu "relatório"
      Prezado Andrew Fogtman, estou usando Biofert e comecei a usar intercalando com o anterior Forth orquídeas (floração). O segundo dividi o conteúdo de 500 ml em dois frascos do mesmo produto, ambos apresentam cálcio em sua formulação. Sendo respectivamente a dosagem de 0,01% no Biofert e 0,005% no Fort orquídeas. Devido a luminosidade deixei todos os paphilopediluns próximos. Todas a minhas outras orquídeas estão bem visualmente, não param de surgir hastes florais em minhas phalaenopsis praticamente todas estão com pendões ou florindo, os oncidiuns tem um que apresenta pendões e os outros todos bem adaptados. Tenho também Miltonias Morelianas, Catleias, Laelias,dendróbiuns, Asconcenda e Aerides odorata x Aerides lawrenciae(sem considerar os nóbiles que não conseguiram se adaptar e acabaram morrendo e os cymbidiuns que não estão muito bem, estão muito debilitados) Vandas (estas estão em outra área que considero mais quente e mais clara).
      A cidade é Pedro Leopoldo. A temperatura por aqui chega a mais de 30 ° no verão e abaixo de 20 nas estações frias, as vezes abaixo de 15° na madrugada (isso está me preocupando em relação as Vandas, se você tiver alguma sugestão de como contornar o problema da temperatura baixa para elas eu agradecerei).

      Excluir
    3. Olá Ivanete! ötimo mantenha a adubação, mas no caso dos Paphiopediluns só cuidado com o excesso de fósforo na adubação e adube um pouco menos do que nas demais. Quanto ao Paphio aparentemente parece que ele sofreu ataque de ácaro em algumas folhas, não sei se já está controlado ou não, mas se não estiver controlado você pode usar o produto chamado organobat que é um produto natural a base de nim que consegue controlar bem ácaros em infestações não muito altas. Limpar bem as folhas também ajuda bastante na prevenção do surgimento de ácaros. Esse organobat também funciona bem para cochonilhas.
      Quanto as vandas provavelmente sua temperatura não deve trazer problemas pois o problema seria se a temperatura ficasse abaixo de 15 ou melhor de 10 graus por vários dias ou semanas consecutivas durante a noite, um dia ou outro apenas não costuma trazer problema, portanto é ir só observando e cuidando dela normalmente.
      Bom espero ter ajudado, mas precisando de mais ajuda é só entrar em contato novamente! No mais, tenha uma ótima tarde e até a próxima Ivanete!

      Excluir
  7. Bom dia sr. Andrew, me chamo Luciano e tenho quatro orquideas, duas delas eu coloquei em um tronco bem antigo que me deram recentemente, porém a phalaenopsis, ficou com a raiz escura e mole, não sei se foi por que pressionei para ela poder ser colocada, apliquei a calda bordaleza ja tem 45 dias, as folhas que tinham apresentado diferenças melhoraram, o detalhe é que ela não fica amarrada, ela fi colocada no tronco como se fosse um vaso usando substrato e tudo e pressionei um poco pra ficar firme e não sacudindo, assim sempre que tiro o substrato para olhar, não vejo as raízes evoluindo, além desse problema as vezes no tronco crescem uns cogumelos, e mesmo bem pequenos, eu observo logo que surgem, retiro, mas aleatoriamente aparecem, demora muito mas vez por outra aparecem, não entre as raízes nem proximo das orquideas, mas aparecem em alguns pontos do tronco, com relação aos cogumelos são maléficos, e com relação a orquidea a phalaenopsis, ela continua verde o colocando folhas, mas as raízes fico preocupado, por favor me ajuda e dá uma dica, ate mais Luciano.

    ResponderExcluir
  8. Desculpe sr. Andrew, eu não afirmei que são maléficos os cogumelos, perguntei, até por que não sei se são ou não, aguardo retorno, até mais Luciano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luciano! Quanto ao tronco em que a Phalaenopsis está plantado você nota se eles está apodrecendo ou está apodrecido? Estes cogumelos não são prejudiciais as orquídeas, mas são indicadores de deterioração do tronco.
      O grande problema é que as Phalaenopsis não gostam de ambientes ácidos e outro problema é que o meio do tronco onde você a colocou pode estar muito abafado e acumulando muita umidade, ainda mais com substrato e fora o problema da acidez do tronco as raízes não conseguem se desenvolver direito e com o tempo a planta pode ter problemas mais sérios e até definhar.

      As phalaenopsis podem ser plantadas direto em troncos de árvores vivas com sombreamento adequado ou em placas de madeiras ou tocos ou placas e a melhor maneira de planta-la é amarrando-a de cabeça para baixo na lateral do tronco ou placa e assim você fará regas mais constantes e ela terá um enraizamento bem mais satisfatório e com o tempo ficará uma planta bonita crescendo na forma em que ela cresce na natureza. Não use troncos que já estejam com um certo avanço no estado de decomposição, procure sempre madeiras firmes e de qualidade com boa durabilidade para o plantio quando for o caso.

      Bom espero ter ajudado, mas tendo mais dúvidas é só entrar em contato novamente. No mais tenha um ótimo Domingo e até a próxima!

      Excluir
  9. Eu tentarei, mudar a phalaenopsis, pela denpal alba, que acredito se adapta melhor com umidade, e o tronco não esta aporecendo não, ele não vive umido, e tem mais de 30 anos, que ficava em um quintal e num canto onde dá muito sol, gostaría de saber também, como utilizar de forma adequada o complexo B, também a calda bordalesa, o 10-10-10 e a Ureia, para o melhor desempenho nas orquídeas, tenho quatro orquideas, uma encyclia dichroma, essa phalaenopsis falada, uma oncidium, de maceió, e uma denphal alba, tentarei mudar a phalaenopsis pela denphal alba, pois acredito pelo que tenho percebido que a denphal se adapta melhor a umidade. espero suas dicas ok, muito obrigado pela ajuda e bom domingo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luciano! De fato o Denphal pode se adaptar melhor, em geral Dendrobiuns tem uma melhor aceitação em substratos ácidos, também precisam de boa ventilaçao e drenagem.
      Agora quanto ao cultivo de orquídeas, sugiro dar uma lida nas demais matérias do Blog, principalmente as relacionadas com o cultivo básico, pois temos que ter muito cuidado com a questão da adubação. As orquídeas são plantas de metabolismo muito lento e são extremamente eficientes na absorção de nutrientes, por essa razão necessitam de doses mínimas de adubos e de forma homeopática e mais constante e estes devem ser completos e balanceados. A Ureia de modo geral não é um adubo adequado para orquídeas, a sua reação e dependendo da sua fabricação tende a ser tóxica para as orquídeas, fora que é um adubo incompleto. Existem hoje em dia fórmulas próprias para orquídeas como o Biofert Orquídeas e o BeG orquídeas, ambas fórmulas completas e balanceadas com macro e micronutrientes, inclusive o cálcio que é fundamental para as orquídeas. Existem outras fórmulas também fora os orgânicos, mas o mais importante é você entender a importância das doses mínimas adequadas e que os adubos sejam completos e balanceados e que tenham cálcio.
      Quanto a Vitamina B1, usada como anti estresse e auxiliar na recuperação da planta também seu uso deve ser feito apenas para este fim, não deve usar em plantas estabelecidas e sadias, pois seu uso frequente pode trazer problemas também.
      A Calda bordalesa é um fungicida e bactericida antigo que é eficiente até hoje, sendo um produto muito bom para prevenção de diversas doenças, mas seu uso requer critérios. Não se deve usar caldas bordalesas compradas prontas e sim apenas as feitas em casas com a receita original da calda, pois as orquídeas são sensíveis ao cobre e se ele tiver preparado de forma errada pode intoxicar a planta. Outra coisa que a calda bordalesa deve ser usada apenas como tratamento de inverno com temperaturas amenas e sempre no fim da tarde, sendo a concentração adequada para orquídeas de 0,5 a 0,2% de sulfato de cobre o que da de 2 a 5g/L de sulfato de cobre. Procure na internet ou veja no Blog na parte de divulgaçoes e das palestras que dei que lá tem um vídeo mostrando o preparo da calda bordalesa.

      Bom espero ter ajudado, mas tendo mais dúvidas é só entrar em contato novamente.
      No mais, tenha uma ótima semana e até a próxima!

      Excluir
    2. ok, muito obrigada, vou procurar ler as diversas matérias, do blog, para adquirir mais conhecimento, até por que tenho muito interesse, voltando eu usei a ureia alguns dias na phalaenopsis, e acho que aconteceu de ter prejudicado ela, pois eu a mudei como falei, e coloquei substratos de pinho com os quadradinhos de casca de coco, apliquei a calda, fazendo a composição como o sr. falou e como outros engenheiros agronomos amostram em videos no youtube, mas infelizmente não tenho visto muita reação, como tinha limpado direitinho as raizes dela na mudança com uma escvinha, notei que ta bem feia, e depois que coloquei no substrato tem dois dias e vi a folha de baixo da base a mais em baixo amarelando, não sei mas acho que quando apliquei a ureia, coloquei demais e terminei prejudicando mais do que ajudando, ainda assim muito obrigado pelas dicas, até mais Luciano.

      Excluir
    3. De Nada e disponha, mas fica a dica nunca use uréia em orquídeas, o resultado é catastrófico geralmente.

      Tenha um excelente fim de semana e até a próxima!!

      Excluir
  10. Então posso e devo deixar o Bicho Lixeiro nas minhas orquídeas?? Tenho uma cattleya que ainda não floriu e tenho retirado Bixos Lixeiros Adultos que costumam aparecer em suas folhas! Não sabia de que se tratava, até ver a foto, aqui no blog.

    Uma Ornitopora radicam também apresentou o que julgo ser Bixo Lixeiro Jovem: uma "fila" de micro-esferas brancas, como um minúsculo colar de pérolas, diferente da foto do bolg, onde aparecem como um cacho de uvas... Vou deixá-los, então!

    ResponderExcluir
  11. Esqueci de perguntar: que é aquele inseto (?) que aparece na foto com o Bixo Lixeiro Adulto (um pequeno "fio" com uma mini-esfera na ponta, formando uma fileira)? Obrigada e uma boa tarde...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alexia Sim o bicho lixeiro deve ser preservado pois é um importante agente de controle de pragas como cochonilhas ovos e pulgões. a sua larva é bastante voraz e facilmente identificada pela montanha de lixo ambulante que anda pelas folhas das plantas. Aquelas esferas penduradas em um fio são os ovos do bicho lixeiro, é uma maneira fácil de identifica-los pois é a postura de ovos típica deles com os ovos em fileirados ou em grupos pendurados por um fio de seda. Não confunda com ovos que ficam em grupos ou individuais encostados na folha, pois estes podem ser de mariposas borboletas ou outros insetos, portanto sempre observe bem e preserve os insetos benéficos como o lixeiro, as joaninhas, as aranhas dentre outros.
      Bom espero ter ajudado, mas tendo outras dúvidas Alexia é só entrar em contato novamente.
      No mais tenha uma ótima semana e até a próxima!

      Excluir
    2. Muitíssimo obrigada!!! Inadvertidamente, por ignorância total, removi, mais de uma vez, ovos do bicho lixeiro que encontrei numa cattleya! Não cometerei mais este êrro. Um abraço..

      Excluir
    3. De Nada e Disponha Alexia! Um ótimo fim de semana!

      Excluir
  12. Tenho um orquidario caseiro com mais ou menos 200 phalaenopsis e algumas olho de boneca, todas as phal estão com haste floral em desenvolvimento, porém uma das phal está com as folhas amarelas e com um aspecto apodrecido, o que devo fazer para salvar a muda?? será que é por causa do frio?? moro em Blumenau/SC aqui é bem quente mas este inverno esta mais frio que o habitual, também observei que muitos botôes não estão se desenvolvendo e secando, isto se deve ao frio?? pois é a primeira vez que isso acontece com as minhas orquideas. Aguardo retorno. Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marisa! De fato este ano nosso inverno está bastante rigoroso mesmo e as Phalaenopsis são muito sensíveis com o frio prolongado com temperaturas abaixo dos 10 graus fora que elas não resistem a geadas ou temperaturas abaixo dos 5 graus podendo ocorrer queimadura por frio que geralmente causa um aspecto feio amarelando e amolecendo as folhas como se elas estivessem derretendo. Se você não notar nenhum mal cheiro nestas manchas amolecidas de fato foi por causa do frio excessivo. O frio intenso abaixo de 10 graus também provoca paralisação do crescimento total da Phalaenopsis abortando os botões florais.
      O mais importante é quando notar que o tempo está para esfriar muito tentar proteger as plantas mais do frio quando possível estendendo um túnel de plástico agrícola por cima da bancada. Você pode instar sem muito custo armações que podem ser em vergalham ou outro material rígido fazendo arcos altos em vários pontos da bancada para que você possa esticar o plástico agrícola nos dias mais frios dando uma certa proteção as plantas. Outra boa medida também quando o tempo está para esfriar muito é reduzir a umidade reduzindo as regas nesses dias em que esfriará mais.
      Quanto a Phalaenopsis com as folhas amolecidas se possível tente cortar todas as partes afetadas fora com ferramenta esterilizada e passe canela em pó no corte. Felizmente o inverno já está chegando ao fim e com o calor voltando as Phalaenopsis vão se recuperar e retoma o seu crescimento normal.
      Bom espero ter ajudado, mas tendo outras dúvidas é só entrar em contato novamente. No mais tenha uma ótima semana Marisa! Até a próxima!

      Excluir
  13. Ola Andrew gostaria muito d sua ajuda tnho n qntal 1orqdea q nao sei o nme era cultivada em 1tronco fcou la mto tmpo ela tem bulbos bm grosos e tpica d cerrado goiano. Eu aqdqri numa feira tpca aq prximo a brasilia rsumindo tva qse morta so tnha 1 bulbinho bm pqno a qse 1 ano meu mardo rslveu clcar na amoreira q tmos n qntal comecou a dsenvolver agora tm 2bulbinhos pqenos e ta nascendo outro plo mnos e o q prece so q as raiz tao fininhas cmo fios d linha cmo psso ajdar a dsenvolver

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Elisabete! Você teria fotos desta orquídea? Teria como enviar fotos dela para o e-mail do blog: orquideassemmisterio@gmail.com

      Olha não necessariamente raízes finas é sinal de problema, ainda mais se a planta está recuperando. Algumas orquídeas possuem raízes bem finas, outras não tanto finas, outras mais grossas e outras bem grossas e varia muito de espécie para espécie. Se conseguir ver foto dela poderei te ajudar melhor certo?
      Fico no aguardo e qualquer coisa só perguntar. Abraços!

      Excluir
  14. Olá Engenheiro Andrew. Meu nome é Adalgiza e estou com uma média de 30 orquídeas dentro do orquidário que não é fechado, apenas fornece sombra e umidade pra elas. O caso é que notei nas Phalaenopsis alguns pulgões ou conchonilas. Os insetos brancos que parecem uma espuminha. Já tentei tirar com escova e tal, mas eles retornam. Posso pulverizar as orquídeas com uma solução natural de alho e cebola batidas com água? Aprendi essa receita e as minhas macieiras não deram mais. Mas no caso das orquídeas, não sei se posso usar. Se não, poderia me indicar algum? Me dê um help por favor. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Aisha! Sim pode sim e não só a solução de alho e cebola, como produtos a base de óleo de nim não muito fortes, solução de sabão de coco também funciona e remover as cochonilhas com escova de dente com sabão de coco quando são poucas plantas também funciona

      Bom espero ter ajudado, mas qualquer outra dúvida só perguntar.

      Forte abraço!

      Excluir
  15. Quanto a afirmação de que o óleo mineral e o óleo de nim são prejudiciais ás orquídeas são divergentes da literatura habitual que os considera seguros.Pergunto se nas formulações comerciais existentes eles são realmente perigosos?
    Gostaria de ajuda para identificar um processo que considerei a principio como queimadura solar,porém se extendendo a outras folhas com estrias amareladas e posteriormente necrose total e queda das folhas afetadas.Eliminei a planta da coleção,mas fotografei-a antes.
    Porfim gostaria de saber onde pode ser adquirido o substrato coxim,do qual possuo boas referencias.
    Grato pelas respostas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jose! De fato o óleo mineral e o óleo de nim sim podem ser bastante prejudiciais, principalmente o óleo mineral causando uma fitotoxidez de sintomas variados causando necroses em forma de estrias, cloroses ou mesmo queda de folhas. Muitas vezes sintomas que lembram aqueles causados por vírus. Entretanto algumas formulações comerciais como alguns preparados a base de óleo de nim, mas que contem outros extratos vegetais são mais seguros dentro das dosagens adequadas e evitando a exposição ao sol ou luz intensa das plantas. Aquele óleo de nim puro ou óleo mineral puro não é recomendado. Vários testes com diferentes dosagens foram feitos na Universidade Federal de viçosa e todas causaram fitotoxidez, mas esses preparados com vários extratos vegetais não causam essa fitotoxidez aplicados de forma correta.

      Quanto a esses sintomas que você mencionou pode ter sido devido a fitotoxidez de algum produto, como óleo mineral ou óleo de nim puros em dosagens altas, sulfato de cobre puro sem a neutralização da cal virgem (calda bordalesa ) ou outros produtos a base de enxofre ou cobre sem ser devidamente neutralizado. Você lembra o que aplicou nos últimos dias em suas plantas?

      Dendrobiuns são uns dos gêneros mais sensívis aos cúpricos ou óleos e tirando a calda bordalesa qualquer outro cúprico causa queda de folha em 1 semana sem afeta o resto da planta. Se quiser poste fotos para o e-mail do blog: orquideassemmisterio@gmail.com e fico no aguardo das respostas.

      Olha o coxim embora exista algumas referências não se mostra um bom substrato, estragando com certa rapidez. O que é recomendado e mesmo assim usando em mistura com outros materiais como pinus, carvão e brita é o chip de coco, que é os pedacinhos de coco cortado em cubinhos. este ainda é bom para usar, ou então a parte dura do coco que também pode ser cortada em cubinhos. No Estado do Rio de Janeiro existe a fabrica da Coco Verde onde eles vendem o chip e diversos outros produtos a base de coco. Eles ficam próximo a Itaguaí


      Bom espero ter ajudado, mas tendo mais dúvidas é só entrar em contato e fico no aguardo das respostas e fotos.
      Forte abraço e uma ótima semana!

      Excluir
  16. Boa noite Andrew! Parabéns pelo Blog e por todos esclarecimentos postados. Tenho acompanhado e muitas dúvidas que tinha estão sendo esclarecidas. Cultivo orquídeas a 4 anos e neste último decidi aumentar minha coleção e construí uma pequena estufa em meu quintal. Porém surgiram algumas pragas que estou conseguindo controlar mas tem uma que me incomoda porque parace que se multiplica muito rápido. É um mosquitinho preto de nome fungus gnatis (identifiquei colocando placas amarelas e através de um amigo agrônomo). Comprei no mercado um produto natural que contém um ácaro predador das larvas deste mosquito e não sei de funcionou porque o ácaro predador entra e fica no substrato e não consigo identificar a eficiência do produto. A questão é que apareceram muitos pequenos insetos que parecem pulgas e não sei se é o fungus gnatis se proliferando/crescendo. As placas amarelas capturaram 90% das moscas adultas mas minha preocupação é se esses pequenos insetos estão consumindo as raízes das orquídeas. Troco o substrato e em poucos dias o substrato limpo fica cheio deles! Estou parando de utilizar um adubo orgânico a base de alguns cereais em pó + micorrizas porque creio que os cereais podem estar alimentando esses insetos e todos os adubos que utilizei até agora foram orgânicos a base de peixe, algas e rochas. Você já identificou algo assim? Conhece algum produto para elimina-los do substrato?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mário! A mosca Fungus de fato ela as vezes se torna um problema, que não necessariamente prejudica a planta porque não existe grandes relatos que elas causem sérios danos as raízes, mas de qualquer forma elas deixam o substrato com uma aparência desagradável e é de se saber que elas prejudicam raízes de algumas culturas em viveiros, como o cafeeiro. O que pode ser eficiente para o controle da mosca, junto com o ácaro predador é a Bactéria Bacilus thurigiensis que é específica para lagartas e larvas e se tem indicação de seu uso para o controle das larvas da mosca fungus. Existem várias marcas e linhagens desta bactéria então procure uma de uso mais geral sendo um bom produto o chamado DIPEL que vem numa lata e o rendimento é muito alto, pode ser aplicado quinzenalmente como preventivo que ele ajudará a manter a população de larvas baixas e continue com as iscas amarelas.
      Bom espero ter ajudado, mas tendo outras dúvidas é só entrar em contato novamente. Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  17. Olá, será que você poderia identificar qual praga está causando estas lesões na minha denphal?
    Seguem as fotos. Obrigada.

    https://www.flickr.com/photos/tephinha/14007637047/
    https://www.flickr.com/photos/tephinha/14007584709/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! a primeira parece mancha de antracnose que é causada por um fungo. Não é grave, apenar corte a parte lesionada com uma ferramenta esterilizada e polvilhe canela em pó no corte. Na outra tbm parece manchas foliares, mas nada grave. Pode-se pulverizar dithane para previnir o aumento das lesões.

      Excluir
  18. Olá! a primeira parece mancha de antracnose que é causada por um fungo. Não é grave, apenar corte a parte lesionada com uma ferramenta esterilizada e polvilhe canela em pó no corte. Na outra tbm parece manchas foliares, mas nada grave. Pode-se pulverizar dithane para previnir o aumento das lesões.

    ResponderExcluir
  19. Bom dia Andrew!
    Sabe me dizer se o oleo de neem tem alguma eficiência em cochonilhas, pulgões, etc... como dizem os muitos anúncios na internet? Eu tenho aplicado e não tenho tido bons resultados e tenho seguido as instruções do fabricante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, sim ele possui sim, agora dependendo da intensidade do ataque ele pode não ter boa eficiência e em casos de ataque deve ser usado as dosagens recomendadas, não para prevenção, mas sim para o controle de fato. Os melhores produtos são os preparados que contém Nim e outros extratos vegetais. O óleo de Nim puro não é recomendado e ainda corre o risco de ter fitotoxidez, mas os preparados a base de Nim e outros extratos dificilmente causam fitotoxidez, se usados corretamente. O uso também deve ser sempre no fim da tarde pois ele é sensível a luz e é degradado facilmente na presença de luz, perdendo eficiência.
      Em casos de ataque muito severo é recomendado entrar com inseticidas mais agressivos e específicos para cochonilhas, até o controle ser feito.
      Bom, espero ter ajudado, mas tendo outras dúvidas é só entrar em contato.
      Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  20. Bom dia
    Tive um problema serio com fusariose em meu orquidário.Consegui salvar a maioria das plantas usando o PRIORI XTRA,porém ocasionalmente o fungo recidiva,embora de maneira mais pontual.Estou pensando em usar tricoderma como preventivo,pretendendo usa-lo amplamente tanto no substrato dos vasos como no solo do orquidário.O Sr. tem alguma experiência com seu uso?
    Agradeço sua resposta

    José Carlos M.Falcon

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Olha, o uso do tricoderma infelizmente é pouco comum em orquidofilia, até por não ser tão fácil de encontrar, mas de fato recomendo e já vi em uma exposição uma vez a venda de substratos inoculados com tricoderma. Use sim, pois vai ajudar a diminuir bastante a dependência dos defensivos mais agressivos e ele ajudará a controlar a maior parte das podridões, além da fusariose também.
      Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
    2. JOSE CARLOS M.FALCON12 de julho de 2014 19:02

      OBRIGADO PELA RESPOSTA.vOU CONSEGUIR COM AMIGOS AGRONOMOS.EXISTE PRODUÇÃO DE TRICODERMA EM BARREIRAS-BAHIA.VOU PERGUNTAR SOBRE O MODO DE USAR. ESPANHOL VENDE O PRODUTO ESPECIFICAMENTE PARA ORQUIDEAS TAMBÉM

      Excluir