-->

Leia antes de iniciar a a leitura no Orquídeas Sem Mistério!

Tutorial do Blog Orquídeas Sem Mistério.

Olá Pessoal!! Estou agora atualizando o Tutorial deste blog, uma vez que ocorreram algumas mudanças em sua funcionalidade tornando o mais pr...

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

O grupo Cattleya – A verdadeira orquídea: Aspectos gerais sobre o cultivo

Estou de volta e agora chegou o momento mais importante desta matéria pessoal, que é o cultivo das Cattleyas.
Todos esses assuntos iniciais foram desenvolvidos não atoa , pois eles são de grande ajuda para entender o cultivo dessas plantas, portanto vamos começar então!!!

Para começar observem calmamente estas fotos:


Para acessar a postagem anterior clique aqui!
























Observaram? Reparem que as Cattleyas nestas imagens estão cultivadas de forma diferente. Ou é vaso plástico ou é vaso barro, ou é nó de pinho ou cachepô de madeira ou o sistema acoplado e tudo isso mostra como existem várias maneiras de se ter um cultivo bom dessas plantas, mas claro sempre atentando as necessidades básicas das Cattleyas e esses serão os pontos abordados a seguir.

Luz:

As Cattleyas de modo geral vegetam em ambientes de mata ou restingas ou banhados e alguns casos encostas rochosas e sempre em ambientes bem iluminados, em alguns casos a sol pleno, porém para o cultivo o recomendado é que o ambiente deve ser sempre bem iluminado, mas o sol deve ser filtrado por tela de sombrite apropriado, que varia de acordo com a região e a incidência de sol no ambiente( em geral varia de 50 a 70%) ou então um ambiente que receba grande quantidade de luminosidade indireta e se possível um sol fraco do início da manha até umas 9h ou final da tarde após 17h. Para saber se a luminosidade está de acordo sempre verifique a coloração das folhas que quando estão com um verde vivo é um sinal de que está ok, mas sempre pesquise sobre as espécies e híbridos que for adquirir, pois algumas podem exigir mais ou menos luz, embora essa dica geral sirva para a maior parte.

água/umidade:

Quanto a água as cattleyas devem ser regadas sempre que o substrato secar, ou seja, secou/molhou e em relação a umidade do ar são plantas que necessitam de ambientes úmidos com um ideal entre 70 a 90% geralmente para que consigam ter uma boa vegetação e um bom desenvolvimento. As walkerianas e nobiliores no período de floração até apreciam a umidade mais baixa para estimular sua floração, pois são plantas do cerrado em que as condições climáticas são dessa maneira, mas essas cattleyas em especial são adaptadas para essas condições, já as demais ou mesmo elas em cultivo não devem ficar com a umidade do ar baixa, pois desidratam com facilidade.

Ventilação do ar/substrato:

Quanto a ventilação As Cattleyas necessitam de ambientes com boa ventilação, porém não gostam de excesso de vento, pois o vento remove a umidade do ambiente o que favorece a desidratação das plantas. Quanto ao substrato a maioria aprecia substratos bem drenados e bem ventilados, pois embora as raízes apreciem bastante umidade precisam também de bastante ventilação, porque respiram muito.

Substratos e vasos:

Quanto ao tipo de vaso pode-se usar desde o de plástico até os toquinhos de madeira, sempre se atentando as característica do seu ambiente, principalmente em relação a umidade e ventilação e sempre que necessário faça as adaptações nos vasos com mais ou menos furos. Já os substratos também podem ser diversos, desde que eles possuam boa qualidade para orquídeas, sejam bem novos, limpos e sem pó. Em geral podem ser a base de casca de pinus, carvão, macadâmia, brita ou a mistura desses materiais e em relação ao tamanho dos pedaços devem ficar em torno de 1 a 2cm, pois suas raízes possuem calibre mediano a grosso. Quanto ao tipo de mistura também sempre deve-se observar as características do seu ambiente e também do tipo de vaso que irá utilizar. O sistema acoplado é muito indicado, principalmente para as espécies bifoliadas e também para as walkerianas e nobiliores. O cultivo em toquinhos, nós de pinho e placas também é muito indicado para muitas bifoliadas e as walkerianas e nobiliores.

Adubação:

Em relação a adubação as catteyas devem ser adubadas como as demais orquídeas sempre atentando ao fato que elas devem receber uma adubação completa e balanceada com macros e micros dando preferência para as fórmulas mais balanceadas ou com ligeiro aumento de fósforo e potássio. O cálcio é elemento indispensável para as cattleyas e essas são extremamente exigentes nesse elemento portanto é necessário fazer a adubação regular com cálcio, podendo usar fontes orgânicas ou minerais. As adubações minerais devem ser feitas geralmente semanalmente e nos meses mais frios do ano, principalmente nos locais mais frios e com muitos dias nublados podem ser mais espaçadas, mas sempre adubando o ano inteiro. Adubações excessivamente nitrogenadas ou adubações com elevados teores de fósforo não são recomendadas pois o excesso de nitrogênio favorece ataque de pragas e doenças e o excesso de fósforo não estimula a floração nas Cattleyas.

Manejo de pragas e doenças:

Em relação as pragas e doenças As Cattleyas são acometidas por várias pragas e várias doenças embora sejam plantas bem resistentes. Dentre as principais pragas a cochonilha é a que mais se destaca e é a mais destrutiva podendo acabar com uma coleção e levar plantas a morte abrindo porta para doenças severas. As principais cochonilhas são as farinhentas e as de carapaças que atacam as Cattleyas e outras orquídeas e seu controle pode ser feito com limpeza manual, com escovinha de dentes macias e sabão de coco, quando for poucas plantas ou uso de inseticidas ou produtos naturais apropriados, mas lembrando que deve sempre usar a proteção individual. Outras pragas como ácaros, lesmas, tenthecoris e outras pragas podem atacar e dentre as doenças a mais temida é a podridão negra, porém manchas foliares, fusarium, canela seca e antracnose também podem ocorrer, mas como uma medida geral de prevenção contra essas pragas e doenças um ambiente favorável é fundamental, com umidade, luminosidade e ventilação adequado e substratos e vasos apropriados e de qualidade, além de sempre usar ferramentas limpas e esterilizadas nas plantas e adubação equilibradas sempre sem excessos. Mais detalhes sobre as pragas e doenças serão mostrados no vídeo explicativo referente a esse assunto, que será colocado ao final da postagem.

Replante e divisão:

Quanto ao replante o critério a seguir deve ser sempre o do enraizamento e as cattleyas devem ser replantadas sempre que começarem a emitir raízes novas e nesse caso devem ser seguidas as recomendações gerais para o replante de orquídeas sempre usando ferramentas esterilizadas. Quanto a época do ano vai depender da espécie pois a época de enraizamento pode variar, mas geralmente o pico dos replantes ocorrem na primavera e verão. Elas devem ser replantadas sempre que o substrato estiver deteriorado e/ou a planta já estiver para fora do vaso. Quanto a divisão o recomendado é que se façam mudas de no mínimo 3 a 5 pseudobulbos, porém algumas espécies, principalmente bifoliadas caneludas de de porte baixo, ou outras que enraizam após a floração podem não aceitar muito bem a divisão e o risco de perder a planta é maior, portanto nestes casos o mais recomendado é que se for fazer corte que cada corte tenha pelo menos uma frente de crescimento.

"Janela de replante":

Esse conceito de janela de replante é muito importante, quando se trata do grupo das cattleyas, porque dependendo da espécie o tempo para que ela possa ser replantada sem muito estresse pode ser curto ou longo. Esse conceito significa basicamente o intervalo de tempo em que ela possa ser replantada sem que ela sofra grande estresse, ou seja, melhor época para replantar. Essa janela de replante é determinada pelo padrão de enraizamento das Cattleyas e o número de brotações por frente de crescimento que ela solta ao ano. Quando o enraizamento é sem padrão ou então antes da floração e a planta emite mais de um surto de brotação ao ano a janela de replante dessa espécie é bem maior, mas aí nesses casos(salve emergências) deve-se preferir a primavera e verão, por outro lado plantas com enraizamento após a floração e apenas um surto de brotação por ano tem uma janela de replante mais estreita e nesse caso replantar fora desse período pode significar um grande estresse para a planta e ela pode demorar muito tempo para enraizar e brotar ou mesmo até definhar e morrer.

Em fim galera, esses são alguns pontos gerais sobre o manejo das cattleyas, mas mais detalhes serão descritos no vídeo e também em materiais complementares que colocarei ao final deste grande material sobre Cattleyas. Quanto a época de floração das principais espécies também será colocado uma tabela com as principais épocas de florações.

E é isso pessoal!! Encerramos o assunto das Cattleyas em si, mas a matéria ainda não acabou, pois na próxima etapa vamos começar a falar dos gêneros relacionados, sendo o primeiro a espetacular Laelia. Por agora fiquem com o vídeo e até lá pessoal fui!!!!!




Para acessar a continuação clique aqui!

Um comentário: