-->

Leia antes de iniciar a a leitura no Orquídeas Sem Mistério!

Tutorial do Blog Orquídeas Sem Mistério.

Olá Pessoal!! Estou agora atualizando o Tutorial deste blog, uma vez que ocorreram algumas mudanças em sua funcionalidade tornando o mais pr...

domingo, 23 de abril de 2017

Umidade – um dos pilares para o sucesso no cultivo!

Olá Pessoal! Finalmente estou aqui depois de muito tempo sem escrever, mas sempre pensando no blog, em vocês e nas próximas matérias, mas faltando tempo, pois estou começando reformas em meu espaço e é muito trabalho pela frente, mas graças às chuvas que me impediram de fazer outras coisas posso estar aqui e finalmente vou escrever para vocês as tão prometidas matérias sobre umidade e microambientes/climas. Não reparem a bagunça nas fotos que irei colocar, mas enquanto essa reforma não acabar a bagunça irá continuar. Bom, vamos agora ao que interessa galera!

Quando nós vamos a uma exposição de orquídea ou um curso de cultivo básico ou palestras em associações escutamos muito a importância sobre a rega, sobre a água de qualidade, sobre a adubação e também é comum falarem sobre a questão da umidade, mas aí muita gente acaba tendo dúvidas e fica se perguntando que que é esse raio de umidade e se não é a mesma coisa que rega. Não pessoal, umidade é uma grandeza totalmente diferente de rega, mas de igual importância ou melhor, de extrema importância e que vai regular uma série de processos e ações em nosso cultivo, inclusive na questão da rega. Podemos assim concluir então: A umidade é um dos pilares do cultivo e manejo de orquídeas. Vamos agora para exemplificar enumerar os pilares do cultivo de orquídea em ordem:




  1. Luz
  2. água
  3. umidade
  4. ventilação
  5. recipientes
  6. substrato
  7. adubação
  8. pragas, doenças e daninha
Observem que na ordem podemos dizer que a luz é o mais importante dos pilares, pois toda planta fotossintética(orquídeas quase todas realizam fotossíntese) precisam de luz para produzir seu alimento. a água e nesse caso é a água líquida da rega ou chuva é fundamental para a realização da fotossíntese e de diversos outros processos da planta, portanto ela é o segundo pilar e após vem a umidade que regula esses processos e outros na planta ganhando assim o terceiro lugar na escala de importância e nossa adubação que é tão falada aparece lá em baixo na escala de importância. Ora Andrew, mas porque disso se ela é tão importante e as plantas necessitam dos minerais para poder se desenvolverem direito? Olha pessoal isso ocorre pelo fato de que não adianta de nada termos uma boa adubação se não tivermos luz, água, umidade, ventilação, recipientes adequados e substratos adequados para que a planta tenha condição de espalhar suas raízes e fazer sua fotossíntese adequadamente. Importante é sim e demais, mas de nada adianta adubar se o restante não está de acordo, pois a planta não irá responder adequadamente. Concluindo esse assunto podemos separar esses pilares do cultivo em dois grandes grupos sendo os seguintes:

  1. Ambiente {Luz, água, umidade, ventilação}
  2. Fatores de cultivo {Recipientes, Substrato, Adubação, Pragas e doenças}
Conseguiram entender pessoal esse esquema de importância? Se sim vamos continuar.

Como o tema de luz, água, ventilação, substrato, adubação, pragas e doenças já foi exaustivamente falado aqui no Orquídeas Sem Mistério vamos então falar agora de forma mais aprofundada sobre a bendita umidade. Mas Andrew, que diabos é essa tal da umidade? Pois bem pessoal, umidade é um conceito amplo e se formos para a definição lá da meteorologia vocês vão ficar sem entender nada pois exige certo conhecimento de cálculos, física, mas para  nós aqui podemos dizer que umidade é a mesma coisa que o vapor de água dissolvido no ar. Bom Parece simples né pessoal? Se olharmos por esse lado é sim, mas ela é muito importante e existem vários tipos de umidade, mas a que mais importa para nós e a umidade relativa do ar, ou seja, é a o grau de saturação do ar em relação a umidade e essa saturação pessoal ela é variável, ou seja, ela depende de fatores climáticos, relevo e do próprio ambiente em questão, mas o que se pode dizer é que principalmente a pressão barométrica, a ventilação e a temperatura vão influenciar muito na umidade relativa do ar. Essa umidade é nos dada em porcentagem e quando dizemos que a umidade é de 100% dizemos que o ar está saturado e isso na prática significa que teremos o conhecido sereno ou orvalho, que é quando o vapor de água se condensa, pesa e se deposita sobre superfícies  deixando-nas com aspecto molhado. Outros fenômenos que ocorrem quando o ar está saturado de umidade são neblinas, nevoeiros e a gutação( que é quando as plantas perdem água na forma líquida pelas folhas através de uma estrutura chamada hidatódio). Quando o ar está com umidade baixa(abaixo de 60%) nós começamos a sentir a garganta arranhar, nariz e lábios ressecados e outros problemas e quando a umidade está muito baixa, principalmente no centro-oeste no inverno em que alguns locais a umidade pode chegar a menos de 20% podemos ter sangramentos e sérios problemas respiratórios, além de que o ar seco favorece as famosas queimadas, sem contar também que o ar seco faz com que o metabolismo das plantas possa desacelerar para evitar mais perda de água e assim elas crescem menos. Ocorre também que com a umidade alta favorece infecções fúngicas e bacterianas em plantas e também nos animais e faz com que as plantas percam pouca água pela transpiração, já umidade mais baixa faz com que as plantas transpirem mais e as superfícies úmidas evaporem mais rapidamente. Outro fenômeno importante e curioso de se observar é que quando a umidade está muito alta ela faz com que aumente a sensação térmica de frio ou calor e no calor faz com que a gente fique todo molhado de suor, pois quanto mais próximo do ponto de saturação(100%) maior a dificuldade da água em evaporar e assim o suor se acumula nos deixando com aquele aspecto melado. No frio justamente é o orvalho e sereno que acumula em nossa pele que faz com que a sensação de frio aumente, principalmente se tiver ventando. Já quando a umidade está muito baixa a sensação térmica de frio e calor também aumenta muito, pois no calor  suor seca muito rápido e isso deixa nossa pele seca aumentando a sensação de calor e no frio também o ar excessivamente seco e com vento deixa nossa pele ressecada o que aumenta também muito a sensação do frio.  Em fim pessoal, falei esse monte de fenômenos que ocorrem com a oscilação da umidade relativa só para vocês entenderem o quão importante ela é para a vida no planeta.

Mas então vocês me perguntam: E nas orquídeas?
Pois bem pessoal nas orquídeas, assim como outras plantas essa umidade relativa do ar vai regular uma série de coisas e vai ser chave para as tomadas de decisão na hora das regas. 
No geral, o que se diz é que a umidade adequada para maior parte das orquídeas gira entre 60 a 80%(bem semelhante a nós humanos), pois nessa faixa de umidade os processos fisiológicos delas tendem a ser otimizados e a transpiração da planta fica dentro de um nível adequado, assim como a evaporação do substrato também, mas se a umidade estiver muito baixa o que acontece é que a planta tende a ter uma transpiração mais alta, pois o ar seco favorece a perda de água pela folha e também faz com que a planta desenvolva menos ou pare de crescer. Um bom indicador de umidade é as pontas de raízes. Quando nosso ambiente está com uma boa umidade as pontas são longas com uma cor viva bonita e se desenvolvem rápido. A planta fica viçosa com um colorido vivo, mas se a umidade for baixa ou excessivamente alta as pontas das raízes ficam curtas ou secam e a planta tem dificuldades para crescer e pode provocar a desidratação. 

Exemplo de umidade boa

Exemplo de umidade alta próximo do ponto de saturação

Pontas de raízes indicando ambiente com boa umidade

Pontas de raízes indicando ambiente com boa umidade

Pontas de raízes indicando ambiente com boa umidade

Pontas de raízes indicando ambiente com boa umidade

Pontas de raízes indicando ambiente com boa umidade

Pontas de raízes indicando ambiente com boa umidade

Pontas de raízes indicando ambiente com boa umidade

Pontas de raízes indicando ambiente com boa umidade

Pontas de raízes indicando ambiente com boa umidade

Exemplo de umidade baixa

Exemplo de umidade baixa

Exemplo de umidade baixa


O qure costuma ocorrer quando a umidade está baixa. Pontas curtas ou queimadas

O qure costuma ocorrer quando a umidade está baixa. Pontas curtas ou queimadas


Conseguiram observar a questão das pontas de raízes e umidade relativa do ar pessoal?
Bom, continuando o assunto vamos reforçar um pouco mais a importância da umidade nos processos da planta. Existe um conceito que é chamado de evapotranspiração, que significa na prática a junção da transpiração dos vegetais(incluindo orquídea) com a evaporação da água das superfícies, como solo, materiais vegetais e outros. Esse processo é bastante complexo e envolve cálculos um tanto complicados, mas existem equipamentos automáticos capaz de medir com boa precisão essa medida, que é tão importante para a agricultura e outros setores, mas no caso da gente aqui apenas o conceito nos importa e o seu comportamento em relação a umidade e também a sua influência na própria umidade.
A evapotranspiração pessoal ela é muito influenciada pela umidade relativa do, sendo que quando a umidade está muito baixa, aliada a uma ventilação mais alta ela tende a aumentar muito e essa evaporação e transpiração excessiva desfavorece muitas plantas, incluindo as orquídeas e o que acontece é que a planta pra minimizar os efeitos para de crescer e as pontas das raízes secam e também ocorrem a desidratação por falta de água, pois assim como em uma conta bancária em que o titular gasta mais dinheiro do que ganha e sempre fica com o saldo no vermelho, com a orquídea é o mesmo. Com a umidade muito baixa suas raízes param de crescer para tentar minimizar o gasto de água, mas suas folhas continuam transpirando e a água do substrato evapora rápido demais, assim o que entra de água na planta é menor que o que sai, conclusão, a planta gasta suas reservas e entra no vermelho desidratando e podendo definhar até morrer se nada for feito. Muitas orquídeas desenvolveram adaptações para esses períodos, principalmente muitas orquídeas do cerrado, como a Cattleya walkeriana que possui metabolismo CAM e por isso elas abrem seus estômatos a noite para capturar o CO2. Com isso, elas perdem bem menos água por essas estruturas, que são uma das principais portas de perda de vapor de água pela planta, além de seu porte reduzido com folhas grossas suculentas o que minimiza bastante sua perda de água. Uma adaptação muito sábia para sobreviver aos tempos difíceis do cerrado que podem passar de 6 meses por ano.
Agora no caso do cultivo em cativeiro com os cuidados da adubação e de um ambiente mais controlado em que nós tentamos otimizar o metabolismo das plantas para nos presentear com florações mais abundantes e de melhor qualidade as plantas são bem mais sensíveis às variações da umidade o que torna os efeitos da baixa umidade muito mais severos, assim como do excesso da umidade, portanto é fundamental que se tenha em mente que o ambiente deve ter uma umidade relativa do ar muito adequada ou então devemos tomar medidas para melhorar essa umidade caso seja necessário.
Já a umidade excessivamente alta próximo do ponto de saturação ou mais alta, aliada a uma ventilação deficitária e substrato velho diminuem muito a evapotranspiração o que na prática significa que o substrato demora bem mais para evaporar a água e a planta transpira bem menos e assim fazendo com que o tempo de rega seja mais espaçado, mas esse excesso de umidade pode também fazer as raízes pararem de crescer , principalmente em ambiente com baixa oxigenação e podem favorecer a morte das raízes por asfixia e o desenvolvimento de doenças por fungos e bactérias.

Em fim pessoal, a umidade regula muita coisa e nós precisamos estar sempre de olho nela para termos um bom cultivo.

Continuando ainda com a evapotranspiração, assim como ela é influenciada pela umidade ela também influencia na umidade e nós podemos tirar proveito disso para melhorar nossos ambientes. Isso mesmo pessoal, a evapotranspiração favorece a umidade também! Imaginem uma floresta onde temos uma concentração de plantas muito alta e essas plantas estão transpirando e o solo evaporando água e como esse ambiente tem uma vegetação muito densa esse vapor de água tende a se acumular nesses locais fazendo com que a umidade seja muito alta, formando um microclima naquele local e claro também influenciando no clima de outros locais, como a capacidade da floresta amazônica de influenciar no clima do resto do país. Sabendo disso podemos usar esse conhecimento para criar microclimas em nossos locais de cultivo através do uso de plantas que possuem uma grande capacidade de transpirar ou evaporar água, como as bromélias e as folhagens de folhas grandes de modo geral com vasos grandes. Essas plantas, principalmente em ambientes mais urbanos sem vegetação podem transformar uma varanda inóspita super seca e excessivamente ventilada em um local com uma brisa suave com um ar mais úmido o que vai favorecer nossas orquídeas, mas também nossos animais domésticos e a nós mesmos também.

Além de plantas outras medidas podem ser usadas para aumentar a umidade do local, como uso de recipientes com água para evaporar(cuidado com dengue), recipientes com brita ou areia umedecida que ajuda muito na evaporação de água e também nebulizadores ou sistemas de irrigação.

Bromélias uma ótima opção para aumentar a umidade do ambiente de cultivo e de baixo risco para dengue!

Legal não é pessoal? As plantas influenciam na umidade do planeta, assim como os cursos d'águas e oceanos e também elas são influenciadas pela umidade e graças a isso nós temos indicadores de ambientes úmidos que ajudam na hora de escolher um local para o cultivo e nos ajudam a explicar um outro assunto que será tema da próxima postagem que será microambientes/clima.
Geralmente um local seco tende a ser mais pobre de plantas e um local muito úmido mais rico e muitas vezes dentro do nosso quintal, do nosso sítio ou outras áreas observamos algumas manchas de vegetação mais densa e outras áreas mais ralas. Geralmente essas áreas mais densas são indicativo de mais umidade no solo, consequentemente mais umidade no ar, por exemplo, uma mina d'água, um poço abandonado, um pequeno curso d'água, etc. Geralmente esses locais possuem muitos musgos, líquens, samambaias e plantas que necessitam de umidade alta, inclusive orquídeas. Se pegarmos esse conhecimento e observarmos nosso local de cultivo notaremos essas mesmas manchas de vegetação, o que vai nos indicar os locais mais úmidos e mais secos, só que em escala menor. Muito legal isso não é pessoal? Vamos então a partir de agora passar a prestar mais atenção nisso e usar isso para melhor dispor nossas plantas em nossos locais de cultivo joia?

Plantas indicadoras de ambiente úmido(poço abandonado e tomado por elas)

No Orquidário o mato se concentra mais nas extremidades próximo ao muro e em baixo da bancada onde a umidade é maior. 

Bem legal e bem útil isso pessoal! Agora vejam essas fotos:






Vocês repararam uma coisa? Repararam que as raízes estão se orientando para uma determinada direção? Pois é galera, esse é mais um ponto interessante em relação a umidade do ar. Ela não é algo estático, ela se movimenta e dentro de um mesmo ambiente e mesmo em horários diferentes ela pode estar mais alta em certo ponto e mais baixo em outro e vice versa, ou seja, a umidade se desloca e possui uma direção e sentido e as raízes das orquídeas costumam perceber isso e vão geralmente em busca da onde a umidade está vindo. Claro que existem outros motivos pelos quais as raízes saem do vaso, mas quando temos um substrato bom tudo de acordo e um grupo de raízes crescendo em uma determinada direção de forma esticada pode ter certeza que naquela direção tem uma fonte de umidade que está concentrando umidade e como ela está se irradiando daquele ponto as raízes vão atras daquele ponto para se fixar, o que ocorre em muros de alvenaria chapiscado velhos em que concentra umidade, chãos de brita úmido, telhados de barro poroso que absorve a umidade ambiente e outras superfícies úmidas. Concluindo, se verificarem raízes se orientando de forma bem esticada em uma direção qualquer fiquem atento que ali tem uma fonte de umidade e tirem proveito dessa observação para melhorar o cultivo de vocês.

Concluindo pessoal. A umidade além de se movimentar no espaço, ela também se movimenta no tempo e no clima, ou seja ela varia ao longo do dia de acordo com o horário, sendo geralmente maior durante as horas mais frias do dia e menor durante as horas mais quentes, chuva ou tempo bom e também variando de acordo com as estações do ano e com a sua localização(altitude, latitude, vegetação, área urbana, área rural, etc) e devido a isso é interessante termos o monitoramento dessa umidade através de termo-higrômetros que se encontra no mercado com todo tipo de preço e para todos os gostos e também sempre observar o desenvolvimento da planta, como a ponta das raízes, o surgimento de focos de mato em pontos do orquidário e sempre que possível tomar medidas para minimizar os efeitos da grande oscilação de umidade, que é muito comum principalmente no inverno e que costuma ser tão danoso para as plantas.

Exemplo da variação de umidade em um dia . Fonte: Google imagens

Exemplo da variação de umidade de acordo com época do ano e localização. Fonte: Google imagens


Bom galera era isso que eu tinha a dizer sobre a nossa temida e adorada umidade e espero que vocês tenham entendido, mas tendo dúvidas já sabem é só entrar em contato e mesmo eu demorando eu irei responder dentro do possível. Forte abraço pessoal e até a postagem dos microambientes e microclimas!!!

5 comentários:

  1. Prezado Andrew,
    Que interessantes estas raízes!
    Descobri seu blog há algum tempo, e ele tem me ajudado muito no aprendizado sobre estas plantas tão lindas. Parabéns pela disposição de compartilhar seu conhecimento e experiência!
    Se puder, gostaria que me ajudasse nesta questão: moro em apartamento (em São Paulo) e cultivo algumas orquídeas penduradas na sacada, para melhor insolação e ventilação; no entanto, observei que, apesar de regar com freqüência, várias não se desenvolveram bem e se desidrataram ao longo do tempo, e por isso até estou utilizando mais o musgo e vasos plásticos com furos extras. Você acredita que o uso de bandejas ou bacias com água na altura do piso ajude a elevar significativamente a umidade? E quanto a vasos com reservatório na parte de baixo?
    Desde já, agradeço.
    Sds, Deyse

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Deyse! Realmente a questão da umidade do ar é chave para o cultivo. Você está tendo problemas com a baixa umidade no seu ambiente e isso causa todos esses problemas que estas tendo aí. Sim recipientes com água ou areia ou brita encharcada no ambiente ajudam sim a melhorar a umidade, assim como molhar o chão ou recipientes com reservatório. Plantas companheiras de vasos grandes, como folhagens e bromélias também são excelentes para ajudar a resolver esse seu problema e as bromélias não dão problemas com dengue, o que é melhor ainda e são as melhores companheiras das orquídeas!

      Excluir
    2. Oi, Andrew,
      Muito obrigada pelas orientações! Eu raramente sinto desconforto, então nunca me atentei para este fator tão importante; só recentemente, com ajuda de um higrômetro tabajara, notei o quanto a umidade do ar cai em dias ensolarados e como no meu bairro chove menos do que o previsto. Usarei destes recursos para tentar compensar o ambiente, mas infelizmente é espaço muito pequeno para manter vasos grandes – está mais para apErtamento, rs.
      A propósito, vi sua postagem sobre a exposição no RJ e seu curso. Parabéns, sem dúvida, um privilégio para quem pôde participar!Abs

      Excluir
  2. Ola Sr Andrew, será que pode me tirar uma duvida?
    Comprei algumas espécies específicas de Cattleya, dowiana, veluntina,percivaliana etc... ,que eu já almejava a algum tempo na exposição do jbrj 2017 que teve agora.
    Muitas delas estavam com manchas nas folhas. o dono do orquidário me informou que como seu orquidário fica na serra , quando as orquídeas descem para o nível do mar ficam com essas manchas, isso procede?
    as manchas tem surgido em mais folhas .
    Estou com medo de ser fungos ou alguma doença do tipo.
    Desde já obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Pode proceder sim, pois em regiões de altitude o sol é mais fraco, a umidade tende a ser mais alta e as temperaturas ficam mais baixas o que faz com que elas tenham uma maior tolerância a alta luminosidade e quando se desce para o nível do mar dependendo do local pode ser bem seco e o calor muito intenso e colocando com a mesma intensidade de luz podem ocorrer queimaduras de sol, portanto é importante ficar atento a esses detalhes para evitar queimaduras futuras. Manchas grandes que aparecem rápido no meio da folha indicam claro sinal de queimadura por sol e calor, principalmente se as plantas saem de local de altitude ou com um sombreamento mais intenso e vão para um local mais baixo ou com luminosidade mais intensa.

      Excluir