-->

Leia antes de iniciar a a leitura no Orquídeas Sem Mistério!

Tutorial do Blog Orquídeas Sem Mistério.

Olá Pessoal!! Estou agora atualizando o Tutorial deste blog, uma vez que ocorreram algumas mudanças em sua funcionalidade tornando o mais pr...

quinta-feira, 9 de junho de 2011

AMBIENTES INTERNOS É POSSÍVEL UTILIZAR???

Olá galera! Estou de volta para dar continuidade ao assunto de construção de orquidários com o assunto complementar, que é em relação ao uso dos ambientes internos. Para facilitar nosso entendimento no cultivo vamos entender como um ambiente interno aquele que faz parte da construção da casa, ou seja, terraços cobertos com telhados ou lajes, varandas, varandões, jardim de inverno, locais próximos de janelas, garagens e outros do tipo. Em geral esse tipo de ambiente tem uma coisa em comum, o que os torna únicos e desafiante para o cultivo de orquídeas e que desestimula muita gente. A questão da luminosidade indireta lateral e a baixa umidade em geral. Em comum todas essas construções possuem o problema da luminosidade ser desuniforme entrando apenas pelas laterais, o que muitas vezes torna o ambiente muito escuro com locais mais restritos para o cultivo e por ser em geral construções fechadas de concreto, alvenaria a umidade nesses ambientes tende a ser baixa e o arejamento ou está em excesso ou faltando, mas como para muitos esses tipos de ambiente é a única opção para o cultivo esses ambientes merecem uma postagem para o entendimento da sua dinâmica. Esses ambientes possuem toda uma din6anica própria que gira em torno da umidade, ventilação e luminosidade que é importante ser entendida para se obter melhores resultados no cultivo. Segue agora alguns exemplos desses ambientes.

terraço coberto com telhado 

outra visão do terraço

ambiente interno próximo a janela

novamente ambiente próximo a janela

Então para se ter mais sucesso no cultivo nesse tipo de ambiente vamos começar agora a destrinchar como funciona a dinâmica desses ambientes.
Começando pela luminosidade o importante é entender que a luz ela entra de forma indireta e pelas laterais apenas e dependendo do ambiente ela pode entrar por apenas uma direção ou abertura, como as janelas, algumas garagens e já em 2 ou mais direções como os terraços, varandas e varandões e entendendo isto vai ajudar muito na hora de fazer o posicionamento das plantas nos locais para o cultivo. Um pequeno esqueminha em setas a seguir exemplifica bem a entrada dos raios luminosos nestes locais.
luz entrando apenas por uma direção pela janela

luz entrando por 3 direções sendo pelos 2 lados e pela parte frontal
Além desta questão da direção da luz é importante entender que por se tratar de luz indireta que entra  e então uma luz difusa que fica entre o escuro e a luz direta, ou seja, a chamada penumbra ela é uma luz que vai diminuindo gradativamente de intensidade quanto mais se afasta das beiradas para o centro, o que então faz com que, mesmo sendo um espaço grande, como o terraço a cima mostrado se tenha um grande espaço inutilizável para o cultivo dentro do local, o que conta muito na hora de pensar em ter grande número de planta.
A grande dificuldade quanto a luz nestes ambientes é acertar a luminosidade adequada para cada planta já que estes ambientes existem toda essa dinâmica de luz, mas não existe maneira melhor para se acertar do que a tentativa e erro, ou seja fazer quantos remanejamentos forem necessários e sempre ir observando o comportamento da luz durante o dia. Este comportamento irá indica qual a posição a planta precisa ser colocado, ou seja, a altura do chão que ela deve ficar, a distância da borda que deve ficar e etc. Vai ter locais desses ambientes em que se poderar ter o sol direto por algumas horas e isso pode ajudar para a escolha da altura e distancia da borda que a planta ficará. Vai ter locais com luminosidade próximo do sol pleno, que são praticamente na borda e que poderão ser usados para plantas que gostam desse tipo de luz, vai ter locais com luminosidade la pelos 30%, vai ter locais com luminosidade em locais que chega aos 50% e assim por diante quanto mais se afasta da beirada até chegar ao espaço inutilizável e também a altura em relação ao chão e ao teto irá influenciar e como disse só com a tentativa e erro e muita observação se consegue ajusta os locais para os determinados tipos de orquídeas.
posicionamento das plantas de acordo com a necessidade de luz de cada uma


entendendo a dinâmica da luz nesses ambientes passamos para a umidade. A umidade é um outro complicador destes ambientes que pode ser contornada entendendo como que ela funciona neles.
Para a umidade a diferença entre o tipo de construção vai influenciar muito, já que varandas, varandões, garagens e locais baixos ainda conseguem ter uma boa vantagem porque estão próximas ao solo e então em regiões em que não seja muito urbanizada com muito concreto esses locais ainda se beneficiam da evaporação do solo e da transpiração das plantas próximas, o que faz a umidade não ser um complicador tão grande, mas já os terraços nas coberturas das casas ou prédios ou em locais mais urbanizados e interiores de casa aí sim a umidade torna a ser um certo complicador. Em regiões mais altas o que ocorre é que na parte do dia a umidade tende a ficar muito baixa e a noite bastante alta, um enorme contraste e o interessante é tentar amenizar esse efeito para um melhor cultivo. O grande problema desses ambientes mais altos e mais fechados ou em locais bem urbanizados é não se beneficiar da evapotranspiração comum nos ambientes mais vegetados e com solo natural o que realmente é uma dor de cabeça. nesses ambientes, como os terraços a umidade sempre assim como a luz também vai entrar pelas laterais e a tendência é ela se concentrar na cobertura onde ela pode até condensar dependendo do tipo de cobertura, e então acontece um fenômeno interessante que é o direcionamento das raízes das orquídeas para o alto, isto acontecia com frequência no terraço em que eu cultivava e isso acontece pelo simples fato que as raízes das orquídeas sempre se direcionarem em direção a onde existe maior concentração de umidade, e mesmo molhando o chão isto acontecia com muita força. Inclusive, quando possível molhar o chão é uma opção boa para se tentar manter a umidade mais alta nestes ambientes durante o dia, mas quando não possível um artifício que pode ser utilizado é colocar pratos nos vasos ou recipientes e então colocar brita nestes para que o vaso não fique em contato com a água e assim não prejudique as raízes e assim isto criará um microclima na região do vaso em que aquela água colocada no prato irá evaporando lentamente ao redor da planta, lembrando de colocar um pouquinho de água sanitária se possível para evitar problemas com mosquito da dengue e não transbordar o pratinho sempre deixando as britas meio descobertas.
artifício para aumentar umidade em plantas mais exigentes como esse Paphiopedilum

artifício para aumentar umidade em plantas mais exigentes como esse Paphiopedilum

mesma coisa para essa micro
raiz crescendo para cima em direção a maior concentração de umidade em C walkeriana

mesmo fenômeno em Encyclea patens

mesma coisa na Pot little toshie
Em fim quanto a ventilação é muito variável nesses ambientes, sendo que tem ambientes que são mais abafados, e outros bem arejados, em geral varandas e terraços são mais arejados, inclusive terraços mais altos estão sujeitos a ventos mais fortes  o que em algumas ocasiões é um problema e temos que sempre ficar alerta. Em geral quando se consegue contornar bem o problema da umidade e da luz de tabela se resolve o problema da ventilação e um vaso mais arejado com uma drenagem melhor e mais buracos são sempre uma boa pedida para os ambientes mais abafados.
Terminando esta postagem uma dica boa para quem está começando e vai cultivar neste tipo de ambiente é procurar por plantas mais ecléticas quanto a luz como Phalaenopsis, que aceita bem locais mais claros e mais escuros, algumas cattleyas tambem apresentam esse comportamento, Epidendruns dependendo também e podem ser cultivados na parte do chão podendo pegar sol, dendrobiuns do tipo nobile podem ficar bem na borda, em fim vale a pena dar uma pesquisada, conversa bastante e assim adquirir plantas que garantidamente vão se adaptar bem a estes ambientes. No mais, espero ter ajudado com este post e como sempre qualquer coisa é só entrar em contato que estarei sempre disposto a ajudar. Até a próxima gente abraços!!

12 comentários:

  1. oi voce me ajuda com a minha catleia que perdeu suas raices

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mabu! a deficiencia de raízes pode ter várias causas, como ataque de pragas, substrato velho, excesso de regas, substrato inadequado entre outros. Como sua planta está e está sendo cultivada? Aguardo respostas!

      Excluir
  2. Oi, vc poderia me ajudar a descobrir as espécies das minhas orquídeas?

    http://instagram.com/p/q6wwrSvfUj/

    A 1a é mini, e está florida desde dez/13!

    http://instagram.com/p/lF5wqPPfXi/

    A do meio eu sei que é uma phalaenopsis, mas as demais não...

    Obrigada pela ajuda.

    Abs!

    Paula

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá a primeira e mini parece ser uma Dorits pulcherrima ou então uma Doritnopsis, que é o cruzamento de Phalaenopsis com Dorits e que origina boa parte das Phalaenopsis em miniatura.
      A última planta é um híbrido de Dendrobium phalaenopsis, conhecido porpularmente como o Denphal/
      Espero ter ajudado, mas tendo mais dúvidas é só entrar em contato. Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  3. Oi Andrew tudo bom? te mandei um email, me responde la rs abraço

    ResponderExcluir
  4. Andrea socorro me ajuda.
    Lembra daquela catlleya q vc falou pra colocar num tronco de árvore? Pois moro em apartamento mas....Consegui um toco de mangueira lindo. Mas descobri já em casa que tá cheio de cupim. Pergunta: Como tratar desse toco pra colocar minha catlleya nele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Leila. Olha, se esse toco já estiver muito comprometido e podre não é uma boa ideia, outra opção é ripas ou caibros de alguma madeira dura, tipo Peroba, Maçaranduba ou outra, sem nenhum tratamento. Quanto mais bruta e mais seca melhor.

      Excluir
  5. Andrew bom dia!!
    Parabéns pelas postagens
    , sempre claras, bastante informativas.
    uma das minhas cattléyas, está muito desidratada, como cultivo numa varanda de apto. tem bastante vento, plantei varias plantas para bloquear um pouco, ai consigo também sombra para elas. já tem uns tres anos que eu a comprei, fui repondo um pouco de substrato mas não troquei, ela está com muitas raizes mortas. Enfim o que eu gostari de saber é: isto pode ser só substrato velho?
    Obrigada por dividir conosco seu conhecimento.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Helena! As medidas que você tomou são perfeitas e ajudaram bastante, mas em relação às raízes mortas é isso mesmo. O fato do substrato está velho atrapalha muito, pois ele se deteriora e fica ácido dificultando o enraizamento pois elas ficam abafadas e o ambiente inapropriado para seu desenvolvimento, por isso elas morrem e as plantas ficam com problemas. É necessário o replante e troca total do substrato com uma boa limpeza para revigorar a planta.

      Excluir