-->

Leia antes de iniciar a a leitura no Orquídeas Sem Mistério!

Tutorial do Blog Orquídeas Sem Mistério.

Olá Pessoal!! Estou agora atualizando o Tutorial deste blog, uma vez que ocorreram algumas mudanças em sua funcionalidade tornando o mais pr...

quarta-feira, 30 de março de 2011

Luminosidade - um assunto que deixa muitos no escuro!

Olá Gente! Bom para começar-mos este assunto que causa muita dor de cabeça, principalmente para os iniciantes, mas também para os mais experientes, observem estas imagens e reflitam...



refletiram??

A conclusão que temos ao olhar a imagem em relação as cores das folhas é que estão com coloração adequada de luminosidade e estão saudáveis, mas se reparar-mos bem mesmo elas estando saudáveis e aparentemente em luminosidade semelhante é possível observar diversas tonalidades de verdes nas folhas o que se fossemos parar para analisar em primeira instância que algumas estavam com luminosidade abaixo do ideal e outras acima, o que muitas vezes não é a verdade e este tipo de coisa é muito comum nos orquidários e sempre nos causa muitas dúvidas.
Mas, costumamos sempre ver nas cartilhas e livros que dizem que quando as folhas das orquídeas ficam da cor verde garrafa bem escuro é sinal de pouca luz e assim ela pode vir a não florir direito ou parar de desenvolver e quando elas estão com as folhas meio amareladas e as vezes até aparecem queimaduras é excesso de luz o que também prejudica a planta e que o ideal seria quando elas estivessem apresentando uma cor que chamam cor de folha de alface. Sim as informações referente a isso não estão erradas, entretanto temos que parar e analisar algumas coisas. Cor de alface muitas podem até ficarem com a coloração da folha parecida quando estas em condições boas de luminosidade, entretanto existem muitas orquídeas que quando em condições adequadas possuem tonalidades de folhas bem mais escuras quase verde garrafa como alguns híbridos de cattleyas e também plantas como as que necessitam de mais sombreamento ou mesmo folhas de cores arroxeadas como a ludisia. O fato é que a cor de folha de alface não é sempre uma boa comparação devido as essas diferenças naturais que existem nas folhas das diferentes orquídeas que claro podem diferir muitas vezes por questões genéticas e não por iluminação.
vejam alguns exemplos de cattleyas e como dentro do mesmo grupo, mesmo com condições adequadas de luminosidade possuem diferentes tonalidades de verdes:

 Cattleya warnerii foto do meu orquidário


Cattleya guttata foto do meu orquidário


Híbrido de cattleya sem ID foto do meu orquidário


Híbrido de cattleya sem ID foto do meu orquidário



 Pot burana beauty "Burana" foto do meu orquidário


Cattleya violacea foto do meu orquidário
repare que as folhas delas tendem a verde mais acinzentado.


 Cattleya schileriana foto do meu orquidário
reparem que esta também possui tonalidade verde mais acinzentada, assim como walkerianas e algumas bifoliadas também.
Híbrido de Cattleya sem ID Foto e Cultivo Priscila R. T. de Sousa
 Outro Híbrido de Cattleya sem ID Foto e cultivo: Priscila R. T. de Sousa


Analisando as fotos destas plantas que estão em condições normais de luminosidade percebemos que a variação do verde em relação aos tipos de orquídeas é muito grande e este foi apenas exemplos do grupo das cattleyas. Se formos começa a comparar outras plantas ai a diferença é maior ainda como as das fotos a seguir:

 Phalaenopsis meu orquidário



Angraecum meu orquidário


 Oceoclades maculata meu orquidário


Híbrido de Paphiopedilum de folhas rajadas acinzentadas meu orquidário



Maxilaria shunkeana meu orquidário


Baptistonia pubes meu orquidário


Anathalis linearifolia meu orquidário


 Vanda pack chong blue meu orquidário

Analisando as fotos realmente da para perceber a grande variedade de tonalidades dos verdes das diversas espécies de orquídeas, mesmo em condições adequadas de cultivo.
Outra coisa que também interfere na tonalidade das cores das folhas é a idade da folha, sendo que folhas novas em geral possuem cores mais claras, ou mesmo arroxeadas ou até meio amareladas e conforme vão madurando vão adquirindo a cor verde característica da planta e também as mais velhas muitas vezes costumam começar lentamente a clarear e amarelar até caírem. Isto pode ser observado na foto da minha C. walkeriana semi alba a seguir:




Bom ai fica a pergunta: como saber se a planta está de fato recebendo quantidades adequadas de luz ou não com toda essa variação existentes nas diversas orquídeas? Embora pareça complicada a resposta realmente ela é bem mais simples do que parece e as apostilas e livros dão uma boa ajuda para isso, mas a observação atenciosa é ainda a melhor coisa para se chegar a conclusão. 
As orquídeas são plantas fantásticas e claro elas conversam com a gente e dizem tudo que elas precisam, sentem ou se estão satisfeitas em todos os sentidos e claro para isso precisamos entender tudo o que elas nos dizem e a melhor maneira é claro "conversando com elas" No caso da luminosidade elas nos respondem de forma muito simples. Mesmo com todas as diversidades todas vão responder da mesma maneira ao caso de falta de luz, ou excesso de luz e todas também possuem uma margem de luminosidade aceitável para mais ou para menos que elas conseguem se adaptar e sobreviver e até desenvolver bem o que também a princípio parece dificultar as coisas, mas na verdade ajuda e muito!
No caso de falta de luz, por exemplo, realmente elas vão escurecer bem mesmo as folhas, sendo o mais comum o verde garrafa escuro, ou mais escuro ainda e isto não é a toa é um aumento na produção de clorofila nas folhas na tentativa de captar mais luz para fazer fotossíntese, entretanto quando esta cor está realmente muito escura significa que realmente o local está muito abaixo do que a planta pode aguentar e todos os recursos para compensar a falta de luz que ela tinha ela já usou e no caso esse é um sinal visual claro que ela nos mostra dizendo que precisa ir para um canto mais claro, senão ela vai ter o desenvolvimento comprometido ao longo do tempo. 
Um exemplo de planta indicando falta de luz no meu orquidário é uma C. walkeriana semi alba que estava na lateral da bancada e já foi mudada  e embora não seja uma falta tão grave já esta bem evidente o verde escuro garrafa das folhas, conforme a foto dela mostra a seguir:


a foto por si só já fala tudo e neste caso realmente a melhor decisão é passa la para um local um pouco mais claro para ver se a cor escura reverte e ela adquira uma coloração normal da espécie mais acinzentada um pouco mais clara o que foi o que fiz.
Já o caso das orquídeas estarem em excesso de luz já acontece o inverso e normalmente a planta degrada boa parte da clorofila presente e produz muitos pigmentos amarelos que estão ligados a proteção da folha o que também é compreensível, porque se ela está recebendo mais luz do que a necessidade e capacidade atual ela pode sofrer problemas sérios com o excesso de energia produzida e pode ocorrer aumento excessivo de temperatura que pode acarreta nas famosas "queimas" nas folhas, quando estas expostas a luminosidades muito excessivas ou a horas de sol intenso, mas quando apenas a luminosidade é um pouco excessiva os pigmentos amarelos produzidos nas folhas são suficientes para evitar este dano, mas a planta com o tempo também pode ter o desenvolvimento comprometido já que produzirá menos energia e claro o aspecto visual disto são as folhas com aspecto amareladas com verde muito claro e distante. Já as famosas queimaduras, muitas vezes confundidas com doenças são facilmente diferenciadas, pois normalmente elas acontecem em regiões mais planas e centrais das folhas, que são regiões em que se recebem a maior incidência dos raios luminosos. Existem outras defesas interessantes, que mesmo que uma planta que estava num canto mais escuro seja cultivada em local ensolarado sem que ela seja prejudicada a longo prazo, embora no início ela possa sofrer que é a inclinação das folhas. Em epidendruns é muito interessante observar este fato, pois esta é uma planta que possui uma margem de luminosidade para um bom cultivo muito grande, podendo ser cultivada em locais com sombreamento considerável, até locais com várias horas de sol e o que permite isto é o fato que nos locais mais sombreados suas folhas se encontram mais na posição horizontal e mais retas para receber mais luz, enquanto as que estão em locais ensolarado possuem suas folhas bem inclinadas e bem mais fechadas, o que  promove menos entrada de luz nas folhas e maior proteção contra o excesso de luz. Laelias rupículas em geral vivem em locais altos e rochosos desprotegidos e para suportar a forte luz elas possuem suas folhas praticamente na posição vertical, o que diminui muito a intensidade de luz recebida. 
modos de proteção a parte o que nos interessa é entender o que ela nos dizem e neste caso é bem claro o jeito delas de dizer se estão com excesso ou falta de luz e também entender que muitas das plantas cultivadas como os híbridos em geral de cattleyas como outros não possuem margem de luminosidade tão grande assim e outras espécies mais rústicas possuem uma margem maior, também que as espécies possuem diferentes necessidades de luz o que nos faz ter a necessidade de sempre experimentar e sempre que possível fazer os devidos troca trocas das plantas até acertar os locais adequados, sempre partindo de informações a respeito da orquídea que você adquiri e conhecendo o que for possível sobre a planta em questão. Esta questão de luminosidade se torna mais interessante para quem possui orquidários que recebem luz apenas de forma lateral, como terraços cobertos, janelas, varandas e se reparar-mos bem esses ambientes podemos separar os pontos de acordo com a quantidade de luz que tem e assim fazer as escolhas das plantas que precisam de tal quantidade de luz para cada ponto desse. Um exemplo interessante são os terraços cobertos que mostram bem essas diferenças de luz ao longo que se afasta da ponta para o meio e na altura em que se coloca as plantas. O exemplo a seguir é do meu antigo terraço em Viçosa-MG em que eu cultivava minhas orquídeas e com muito troca troca e informações e ajuda sobre as plantas eu fui colocando as que precisavam de mais luz para as pontas deixando as com menos necessidades para mais atrás e assim por diante o que promoveu um desenvolvimento satisfatório das plantas e bastante flores.
Vejam a foto a seguir:




 As fotos realmente falam tudo e deixam claro que é fundamental saber informações sobre as plantas é fundamental e a paciência para o jogo de tentativas e erros até se acerta os locais é fundamental para o sucesso no cultivo.


Bom para terminar este assunto tão vasto farei um estudo de caso muito interessante, que mostra bem a questão da margem de luminosidade de uma espécie, a folhagem com coloração adequada das folhas, a espécie com excesso de luz nas folhas e até queimaduras em bulbos e folhas e por fim a volta a coloração normal das folhas e isto em menos de 3 meses. Aconteceu com a minha Cyrtopodium andersonii, uma planta nativa dos morros rochosos do Rio de Janeiro, vivendo em locais de alta insolação, entretanto eu cultivava ela em meu terraço, onde esta recebia luz em boa parte do dia de forma indireta e algumas horas de sol nas folhas. Ela apresentada desenvolvimento satisfatório sempre florindo, mas quando fiz a mudança e passei a cultivar minhas orquídeas em Santa Dalila, Magé no Rio de Janeiro, que é um município quente e muito úmido no verão e esfria bem no inverno ela passo por um processo de adaptação bem interessante. Como ela é uma planta de sol ela foi plantada no jardim que pega bastante horas de sol direto e foi plantada em brita misturada com areia e matéria orgânica. Como ela foi plantada no auge do verão e ela não estava acostumada a toda esta luz devido aos anos de cultivo no terraço suas folhagens desacostumadas, embora preparadas para isso começaram a amarelar, assim como os bulbos e até apresentaram sintomas de queimaduras indicando excesso de luz. Isso com certeza foi porque ela foi replantada na épica de maior insolação e mais quente e ela não passou por um processo gradativo de aclimatização o que foi fundamental para o fato ocorrido. Entretanto não me preocupei tanto, pois se trata de uma planta muito rústica e que suporta isto e foi o que aconteceu ela com o tempo foi emitindo broto novo e agora já possui 2 brotos novos com as folhagem de coloração boa e as folhas maduras dos outros bulbos já normalizaram a coloração da folhagem ficando apenas as queimaduras como lembrança do período de adaptação. Isto mostra que ela teve seu período em que a luminosidade estava excessiva, para ela já que ela estava desacostumada e depois a volta ao normal dela e o crescimento dos novos brotos sem problemas, o que mostra claramente a ampla margem de luminosidade que esta planta possui para o cultivo sem prejuízos mais sérios.
As fotos a seguir comprovam o que foi dito:

Cyrtopodium andersonii no terraço Viçosa 14/12/2010


Cyrtopodium andersonii no jardim em Magé plantio recente 04/01/2011


 Cyrtopodium andersonii começando a apresentar sintoma de excesso de luz 22/01/2011


Cyrtopodium andersonii apresentando sintomas severos de excesso de luz e com queimaduras em folhas e bulbos 11/02/2011


Início da brotação nova Cyrtopodium andersonii 11/02/2011



Folhas voltando revertendo os sinais de excesso de luz indicando que estão se acostumando e planta recuperando. 16/03/2011


Cyrtopodium andersonii mais recuperada e com segunda nova brotação saindo. 23/03/2011

Este estudo de caso e as fotos são exemplos bem didáticos e interessantes mostrando bem a questão da luminosidade e seus diferentes efeitos em uma planta e como se identifica os sintomas visuais destes efeitos.
Em fim gente encerro esta postagem importantíssima sobre este assunto esperando que vocês tenham gostado e lhes ajudem no cultivo das preciosas orquídeas. Quaisquer dúvidas é só entrar em contato que estarei pronto para responder Obrigado e até a próxima!

34 comentários:

  1. Sem palavras para agradecer!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andrew, muito obrigada por tuas dicas em quanto a luminosidade. Eu sou louca por orquídeas e plantas em geral, desde muito pequena vivi como meus pais gostavam e até cultivavam elas lá na Venezuela de onde sou. Acho que esse fato deixou a semente dentro de mim.
      Agora que moro no Brasil, decidi estudar paisagismo para entrar na área que amo(migrei de profission., sou psicopedagoga) e estou aos poucos me iniciando no hobbie do cultivo das orquídeas( só pra brincar, e curtir, rsrsrsr).
      Como já te disse estou começando me iniciar com as orquídeas, já tenho quase 53 das quais algumas comprei, outras ganhei e outras trouxe da Venezuela e de Amazonas, só que tem algumas como Phalaenopsis que ganhei que estão com as folhas muito moles e arroxeadas, ainda quando estão dando raízes novas, elas continuam com as folhas dessa cor que sei não e normal. Elas estão em um lugar onde recebem bastante luz, mas não sol direto, eu queria que por gentileza me dissesse o que está acontecendo com elas e o que tenho de fazer?
      Muito obrigada,
      Maru(mariu_tavares@yahoo.com)

      Excluir
    2. Olá Maru! Obrigado pela visita e é muito bom mesmo cuidar de plantas é um prazer enorme está com elas cuidando e as apreciando e vendo a perfeição da natureza em seus mínimos detalhes. Faço isso por prazer e profissão também.
      Quanto as Phalaenopsis, você teria como me informar como está sendo o seu cultivo, como está sendo a sua rega e em qual freqüência? qual adubação você está fazendo e em qual freqüência? Qual substrato ela está? Envie-me fotos dela para averiguar melhor ok?
      Folhas moles é sinal de desidratação que pode ser por falta ou excesso de água e agravado por substrato muito velho e raízes mortas.
      Bom ficarei no aguardo das fotos para poder te ajudar melhor, no mais tenha um ótimo fim de semana e até a próxima!

      Excluir
  2. Ola adorei tudo, simplesmente amei.

    Sou louca por oquideas, e começei meu orquidário agora, tenho mais cattleyas e algumas outras que não sei o nome.

    Olha amo demais, so que moro em um lugar muito dificil de comprar, moro em Colniza-MT então o único meio de se comprar é pela internet, acho muito sites de orquideas com o preço acessivel ao meu orçamento, mas o que não acho fácil é o frete, pois por eu morar muito longe das capitais que mexem com as vendas delas, então fico muito caro pelo fato de ter o frete incluido.
    Então pergunto:
    Como vc ja é experiente nesse campo, será q vc poderia me informar alguns orquidários que podem me ajudar com o meu problema?

    Desde ja agradeço.

    Obrigada...

    Viviane

    ResponderExcluir
  3. Parabéns e obrigada.

    ResponderExcluir
  4. muito lindo eses cultivos de orquideas estou encantada parabens

    ResponderExcluir
  5. Óla Andrew tudo bém?Espero que tenha aproveitado bem o final de ano.andrew o seu blog é maravilhoso ja selecionei nos favoritos.andrew tenho 7 phalaenopis e elas ficam penduradas numa parede de bloco de vidro,até agora me parece um lugar ideal pois quando dão flores duram acredite mais de meses,porem com estes meses muito quente ando preocupada,pois nas folhas ficam com aparencia de gotas de oleo o qual limpo com algodão,poderia me dizer o porque.Desde ja agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ivone! Tudo jóia! Bom se as folhas estão com uma coloração de verde bonita e brilhante não há muito motivo para se preoccupar, entretanto é sempre bom verificar se o substrato ainda está bom e caso não esteja proceder o replante aproveitando que esta época de calor é a melhor época para isto, mas só se for necessário. Bom quanto as manchas lembrando gota de óleo você teria como enviar algumas fotos para poder dar uma olhada melhor? Envie para o e-mail do blog: orquideassemmisterio@gmail.com
      Fico no aguardo das fotos. Obrigado pela visita e tenha uma ótima semana!!!

      Excluir
    2. Olá obrigada adorei os ensinamentos vou por em prática pois minhas catleias e laelias não florescem por estar no local errado!

      Excluir
  6. gostiei muito me ajudou bastante

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde Andrew.Estou comecando agora a cultivar orquideas e estou apaixonada,mas tenho poucas ainda e tenho mais sao as catleias.Eu coloquei elas em uma varanda coberta com telhas de fibra de vidro transparente,onde nao recebe o sol direto mas recebe muita luz e bem quente,vc acha que vai ser bom pra elas?E como eu tenho poucas queria que vc me sugerisse um adubo bom pra todos os tipos de orquideas e pra todas as fases ,pra facilitar na hora de adubar.se puder me responder por email agradeço.divinam2013@hotmail.comAtenciosamente obrigada.Divina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Divina! Bom as orquídeas geralmente gostam de ambientes bem iluminados, mas protegidos do sol pleno para ter um bom desenvolvimento sem queimar as folhas. A ventilação boa e a umidade boa também são essenciais para o bom cultivo. Observação é a alma do cultivo de orquídeas então sempre observe. Veja se em seu ambiente as plantas tão desenvolvendo bem, busque informações sobre o cultivo e qualquer sinal diferente observe e tente ver o que pode ser feito para contornar o problema.
      No caso de adubo, como você tem poucas plantas pode usar o Biofert Orquídeas que é um adubo fácil de usar e é completo tendo inclusive o cálcio fundamental para as plantas.
      Tendo mais dúvidas também pode entrar em contato a vontade. No mais forrte abraço e até a próxima!

      Excluir
  8. Prezado Dr. Andrew, li o material de cultivo, que tem videos aulas, gostei muito e vou tentar fazer, vou adquiri o material e me preparar para fazer, porém tem um material que é comprado, que deixa o fundo preto, o que alimentará as sementes, e vou precisar me esforçar para poder adquirir, pois aqui em salvador tem pouco orquidário especializado; porém o motivo do contato é outro, olha só recentemente me mudei de novo e vim para uma casa que tem pouco luminosidade e tive que dá muitas espécies que tinha, ainda assim fiquei com um tronco bem grande que tem uma Vanda uma phalaenopsis amabilis e uma brassavola perini, assim tenho observado a nite elas suando as folhas da vanda de cima e as folhas recentes que tem nascido na phalaenopsis, elas tomam sol que atravessa a porta de vidro pela manha, aqui é nascente, porém por terem muito roubo de plantas essas coisas eu nem posso deixar elas do lado de fora, por coisas que as vizinhas que tem plantas de jardim terem conversado comigo, ai vem a duvida o que é isso? é normal essa sudorose nas folhas por baixo a noite, pois elas estão enraizadas em tronco, não tem substrato nem esfagno eu acompanho a borrifação, pois quem faz sou eu, as vezes eu não borrifei, tipo o dia todo choveu em salvador e a umidade tá alta, ai a noite está suando, será que é normal? aguardo mais uma dica.
    Até mais Luciano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luciano Olha não é comum as orquídeas terem hidatódios nas folhas. Hidatódios são estruturas geralmente localizados em pontas de folhas, principalmente naquelas folhas que tem ornamentações e esses hidatódios servem para a planta eliminar água quando a umidade está excessivamente alta e a perda por evaporação na transpiração não é possível. Quando a planta perde água pelos hidatódios este fenômeno é chamado de gutação e não é nenhum problema. Agora veja se essa água que está saindo é água ou é néctar. Se ela for açucarada é néctar e é muito comum as orquídeas soltarem néctar nas partes novas das plantas como folhas novas e brotos e isso é provavelmente para atrair formigas que dão proteção para planta.

      Veja se essa água é doce ou não, mas de qualquer forma não é problema algum.

      Quanto ao meio de cultura que você se referiu no início do comentário, você pode comprar facilmente no site do BeG: www.begflores.com.br
      Bom tendo qualquer outra dúvida é só entrar em contato. Um Feliz natal e boas entradas! Até a próxima!

      Excluir
  9. Olá! Tenho 60 orquídeas epífitas e estão há 500 mtrs do mar. Recebem o vento, a umidade e estão penduradas no telhado onde a luminosidade é 100%, recebem o sol das 8hs. Estão bonitas, saindo brotos e faço as regas a cada 6 dias. Posso continuar assim? Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá se suas plantas estão bem estão florindo é só continuar com os cuidados e manter uma boa adubação com um adubo de qualidade compleo e balanceado para elas que lhe darão resultados. O cultivo é isso aí. Muita observação e ir ajustando o manejo de acordo com suas necessidades locais e com tempo vai se acertando e aprimorando cada vez mais, ainda mais quando se já conhece bem o ambiente que se tem.
      Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  10. Tenho 12 Phalaenopolis e como moro a 500 mtrs do mar, Trancoso Ba, fiz uma pequena estufa, pois elas não aguentam o forte calor. Estão brotando e faço regas a cada 15 dias, pois na estufa se mantêm úmidas. Será que elas vão florir?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá As Phalaenopsis apreciam ambiente com boa luminosidade, mas protegida do sol direto, ou então que este seja filtrado com tela de sombrite apropriada para seu ambiente para que não ocorra queimaduras. Ventilação é fundamental e elas apreciam uma variação de temperatura entre dia e noite para florirem então tome muito cuidado com uma estufa fechada demais e com o excesso de umidade para evitar apodrecimento. Cuide e observe se elas estão desenvolvendo bem e faça uma adubação equilibrada e completa para um bom desenvolvimento das mesmas. Observe bem como estão suas raízes, folhas e tudo mais e sempre que o substrato estiver velho é necessário trocar, pois Phalaenopsis não apreciam substrato ácido que fique muito abafado. Preferem substratos mais grosseiros para seu desenvolvimento.
      Bom, espero ter ajudado, mas tendo outras dúvidas é só entrar em contato novamente. Forte abraço e até a próxima e sugiro ler as postagens sobre Phalaenopsis que tem aqui no blog

      Excluir
  11. Parabéns pelo blog! Sempre tiro minhas dúvidas com ele. Gostaria que você me ajudasse com dois bulbos de cyrtopodium, pois depois de algum tempo, eles resolveram brotar em quase todas as gemas. A dúvida é se tenho de plantá-los em pé ou se posso colocá-los deitados com as gemas encostando no chão. Eles estão em berço de areia como vi aqui no seu blog. Demoraram muito pra brotar, então eu fiz uma massagem com uma escova de dentes macia nas gemas e polvilhei canela em pó. Deu certo! Agora preciso saber como plantar. Desde já agradeço por sua ajuda! Glaucia Miranda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Glaucia Que maravilha!! Foi uma brotação espetacular! Quanto a maneira de plantar por enquanto não mexa no bulbo até que os brotos fiquem maduros e percam suas folhas. Quando os bulbos novos perderem suas folhas e estiverem maduros podem ser destacados do bulbo mãe e replantados em vasos separados.
      Espero ter ajudado, mas tendo outras dúvidas é só entrar em contato novamente. Forte abraço e até a próxima!!

      Excluir
  12. Olá Andrew, muito obrigada pelo auxílio! Sou uma apaixonada por orquídeas e sempre que tenho dúvidas acesso o seu blog. Se você tiver alguma página no Face, por favor deixe o endereço, pois será um prazer acompanhar o seu trabalho. Um grande abraço! Glaucia Miranda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Glaucia! tenho sim. Procure pelo meu nome lá que você achará e também tem a pagina do Orquideas Sem Mistério no Face.
      Forte abraço!!

      Excluir
  13. muito lindo estas orquidias mil maravolhas amei gostei muito

    ResponderExcluir
  14. Olá tudo bem ? Sou a Marcia, tenho uma Orquidea Anathallis Linearifolia e estão caindo as folhas verdes, todos os dia encontro quatro, cinco folhas no chão. Gostaria de saber porque esta acontecendo isto com ela, ja diminui a agua dela colocando uma vez na semana e mesmo assim as folhas continuam caindo, e não são folhas amareladas, são as verdes que ela derruba. Aguardo uma resposta. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcia! Eu tive uma Anathallis linearifolia e teve o mesmo problema e nem com replante e os cuidados deu jeito. A sua, assim como a minha foram atacadas por uma podridão que parecia ser uma podridão mole que subia pelo bulbo e derrubava a folha ainda verde com a base com aspecto de encharcado, o que caracteriza uma podridão bacteriana e seu controle é realmente complicado. O que eu acredito que aconteceu no meu caso foi que com a mudança de Viçosa para Magé no Rio que é um clima diferente, ao nível do mar bem mais quente ela sentiu e depois de 1 ano começou a ficar fraca e definhar e aí foi atacada por essa podridão e nada fez com que revertesse o problema, provavelmente, porque o clima estava desfavorável para esta planta. La em Viçosa era bem mais frio e região de mais altitude a' ela se desenvolvia e floria muito bem sem dar problemas. Se esse for o seu problema também realmente fica difícil de reverter, mas também fique atenta se ela não está necessitando de replante e uma última alternativa pode ser o replante e divisão tentando salvar as partes não atacadas dela.
      Para controlar e previnir ataques dessa natureza as opções são poucas. A Calda bordalesa devidamente preparada ajuda bastante a previnir e tem o kasumin também, mas seu uso requer cuidados e uso da proteção individual e para adquirir é necessário receituário agronômico.
      Bom, espero ter ajudado, mas tendo mais dúvidas é só entrar em contato. Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  15. Eu preciso da sua ajuda minhas cymbidiuns,não florescem como devo proceder?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Joelma qual é sua região? Lembrar que cymbidiuns necessitam de clima frio para florescer e bem frio.

      Excluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir